Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2008

CORAÇÃO DE ESTUDANTE

Assistindo ao primeiro capítulo de “Queridos Amigos”, vi alguns dos amigos queridos e outros nem tanto pularem do pântano mofado feito pipoca de microondas. Uma espécie de “efeito cebola”, onde uma camada de recordação que se descasca vai revelando outra, mais profunda, que parecia perdida mas que estava lá quieta, pronta para fazer chorar caso mexesse com ela.

Pode ser que a série se arraste daqui pra frente, e é natural que seja assim, pois se arrastaram sem arroubos de entusiasmo ou idolatria ao que quer que fosse aqueles anos perdidos. Não perdidos na memória, mas como valor utilitário mesmo. Foram anos que começavam e agonizavam sufocados por sua névoa paralisante, burocraticamente vividos, sem sentido prático nem perspectiva histórica. Um tempo sem ídolos, bandeiras e gritos de guerra, que mesmo quixotescos sempre fazem falta e dão à década alguma personalidade.

Bateu latejando o sentimento do tempo perdido, o vazio de termos nos esquecido num lado B qualquer de um disco do Lulu S…

A BEM DA VERDADE

Retrato do Arquiduque de Chorumelas


Ninguém há de negar que entre a história oficial e a real há sempre um abismo enorme. Nos fatos a que me atenho, alguns historiadores avaliam seu tamanho em 28 metros de altura por 12 de largura. Outros estudiosos afirmam serem superestimadas as dimensões do referido fosso, que não devem ultrapassar, segundo eles, 26,5 metros por 11,4.
Controvérsias métricas à parte, o que vem ao caso no momento são alguns episódios que urge serem publicamente reparados, especialmente aqueles relativos aos mais de 120 anos de desavenças bélicas entre o Reino de Patavina e o Condado de Lhufas.

Para que não se perpetuem injustiças, seguem alguns pontos finalmente elucidados, que desmistificam um sem número de embustes e falácias perpetrados mundo afora, o mais das vezes por gente que não tem o que fazer.

Está definitivamente comprovado que Olavinho Vai-Não-Vai, assim chamado por seu temperamento titubeante na função executiva de maneira geral e no trato com os amotinados …

MAIS CUIDADO DA PRÓXIMA VEZ

Foi como abrir o guarda-roupa pra pegar um par de meias e sentir as malas, sapatos, ternos e cabides despencando em avalanche sobre mim. Em certas coisas não se deve mexer, sob que pretexto for. É fio que, puxado, desfia o casaco todo. Pé de vento repentino no castelo de cartas.

Às carradas e sem seqüência que fizesse algum sentido, me abraçaram em redemoinho as muitas centenas de fotos de antes de anteontem, todas num sépia que esmaecia os rostos dos retratados. Sentia o turbilhonamento me envolvendo num cone furioso. E me larguei completamente, atento para ver até onde iria aquele despropósito.

Soprado pelo acaso horas e horas, a milhares de metros acima das nuvens, fui perdendo altitude lentamente até cair no mar dos colos mornos, que conhecia dos prospectos das agências de turismo. Eram só colos, a perder de vista, sem as cabeças e troncos, somente esse filé do corpo onde os bebês tão bem se encaixam e onde os amantes têm e oferecem os arrepios mais sutis. Algumas das espáduas muito…

DIVAGAÇÕES INÚTEIS NO INÚTIL DA TERÇA

Qual não foi meu espanto ao constatar a surpresa nenhuma que me espreitava, insidiosa, naquela terça. Vá lá que a terça seja via de regra um dia meio sem caráter definido, insosso intervalo entre a segunda do início útil da semana e a quarta, que assinala o seu meio. Mas tão sem graça assim jamais a vi, nem a verei provavelmente.

Apático, abri o livro das gravuras austeras e segredos milenares, aquele temido na infância por não poder com seu peso, adivinhando os arabescos em ouro de suas capitulares. Dele sempre mantive prudente e salutar distanciamento, uma reverência talvez vinda de olhares censores que me asseguravam sova certa ao folheá-lo. Desistia dos intentos ao cenho franzido dos capelões d’El Rei, das amas cansadas do ofício e dos Torquemadas de plantão, desses que não faltam para assustar meninos em noites chuvosas.

Assim, respeitoso, era o meu lidar com o livro e com os demais e tantos objetos de adoração depois dele: a vitrola de feltro vermelho sobre o prato, a Rolleyflex e…