Pular para o conteúdo principal

CHECK-LIST


Veja só, parecia uma inocente listinha de supermercado. Pois saiba, sua cadela desavergonhada, que descobri os códigos secretos que você usa para se referir às suas escapadelas extra-conjugais e aos apetrechos a serem providenciados para os encontros com seu amante. Um verdadeiro dialeto cifrado, que você julgava inviolável mas que, sem grande dificuldade, consegui desvendar. Duvida? Vejamos.

FÓSFOROS
Não venha me dizer que é para acender vela para algum santo. Você sempre foi agnóstica. Só pode ser para um outro tipo de velas, aquelas de jantar romântico, que antecede o bem-bom. Nenhuma outra desculpa é válida: nosso fogão tem acendimento automático, amor.

CALDO DE CARNE
Permite mais de uma interpretação, das quais arrisco duas bastante prováveis.
Alternativa 1: você se refere a algo que auxilie sua carne dar um bom caldo, acertei? Provavelmente alguma novidade anti-celulite, que aliás você está mesmo precisando.
Alternativa 2: o referido produto é comercializado em cubos. Cubo é a terceira potência. Terceira potência mundial é a Inglaterra. Ou seja, encontro em algum bar estilo pub.

ALHO E CARÁ
Sem comentários, de tão óbvio: suprir o estoque de preservativos, certo? De outrem, pois sou vasectomizado.

CD COMPUTADOR
Mas pelo jeito você quer sem dor alguma. Não se trata do suprimento de informática, e sim de gel para práticas pouco ortodoxas.

COTONETES
Cotonete lembra ouvido, que está na cabeça, onde vai o boné, que protege do sol, que é vital para a vida na Terra, onde existem moitas pra fazer sem-vergonhice. Decifrando: hoje tem, e vai ser no meio do mato mesmo.

PILHAS
Leia-se Viagra e/ou catuaba e/ou ovo de codorna e/ou ginseng.

RODO
É odor ao contrário. Provavelmente algum produto para eliminar cheiros no quarto após a bacanal.

Pois é, querida, caem as máscaras. Disfarçada de prosaica listinha de compras, as intenções veladas de adultério e fetiche pecaminoso. Sinto-me um Champollion moderno, decifrando seu papelzinho de Roseta. Ou seria de rosetar? A diferença é que Champollion certamente teve muito mais trabalho, você foi previsível demais. É quase um passatempo desbaratar seus códigos cheios de associações imediatas, faltou sutileza e astúcia para acobertar seus afazeres sacanas. Mas a lista continua.

CHICÓRIA (5 MAÇOS), COLA TENAZ, TESOURA DE UNHA

Pegando a primeira sílaba de cada palavra, temos sua face sadomasoquista: chicote.

6 CAIXAS DE LEITE, 8 SACHÊS HIGIÊNICOS, 2 BOLACHAS MAIZENA, 7 EMBALAGENS DE OMO, 1 ATUM EM ÓLEO COMESTÍVEL, 3 QUEIJOS RALADOS, 8 LÂMPADAS 25W (por que essa luz tão fraca, heim?) 2 GOIABADAS CASCÃO

Liguei para 6827 1382 e caiu em um sex shop. O que tem a me dizer?

UMA PEÇA DE PATINHO
O pato, no caso, sou eu. A peça é o ingresso de teatro que você me deu, dizendo que tinha ganho na promoção da Rádio Difusora AM. Enquanto o patola aqui assiste à tragédia, você cai na comédia com o cafajeste.

PALHA DE AÇO
Palhaço, ou seja, eu de novo. Último item da lista. Daqui pra frente, nem isso. Inclua-me fora, da sua lista e da sua vida. Acabo de pedir uma inflável no Delivery.

© Direitos Reservados



Comentários

  1. Raul Ribas5:24 PM

    Opa!
    Acabei de ler o texto, e mais uma vez devo parabenizá-lo!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Mary Maia7:04 AM

    Rindo muito...Eita que a gente nem pode mais ir ao supermercado...rsGostei.

    ResponderExcluir
  3. Sandra7:07 AM

    Olá Marcelo, tudo bem com vc???
    Acabei de ler CHECK-LIST e achei excelente !!! Desse estilo que eu gosto, os engraçados !!!!!
    Um ótimo domingo e um grande abraço p/ todos vcs !

    Sandra

    ResponderExcluir
  4. Amigo, genial e cômicas as deduções. Só sinto vc não ter incluído as famosas bolinhas tailandesas travestidas de macaúbas. abç

    ResponderExcluir
  5. Nelson2:43 PM

    muito bom!!!! rs....

    ResponderExcluir
  6. Ana Maria5:00 AM

    viajou legal heim, Marcelo!

    ResponderExcluir
  7. Sandra Nogueira8:06 AM

    oi amig, você me alegra as segundas-feiras. Além de rir muito pasmo com a fertlíssima imaginação.
    abração
    Sandra

    ResponderExcluir
  8. Adorei, Marcelo!!!
    Preciso rever minha listinha de compras...rs...
    Quando puder, passa lá no cais.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Elizete Lee12:31 PM

    KKKKKKKK.....AHAHAHAHAHAH...

    Pois é, Marcelo, sempre você nos fazendo rir demais!
    Como disse a Ana, tenho também que cuidar das minhas listinhas, que de tão mal feitas, parecem hieroglifos, por muitas vezes, não consigo entender o que escrevi e volto sem o principal produto da lista!

    Abração.

    ResponderExcluir
  10. Ana Lucia1:21 PM

    Querido primo, como vai?
    Adorei a paranóia. Me fez lembrar do hipocondríaco que foi ao médico dizendo que estava preocupado pois já fazia tres meses que estava sendo traído e até agora os chifres não tinham aparecido. Tem cara que é assim!
    beijo
    Ana Lucia

    ResponderExcluir
  11. Marcelo!!! hahahahahaahah!! Bom demais este texto! Parabéns!!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Oi, Marcelo
    Super engraçado este texto! Costumo passar por aqui para ler seus novos textos e redescobrir os já lidos. Nem sempre deixo comentários mas saiba que é sempre um grande prazer, todos são excelentes.
    Abraços

    ResponderExcluir
  13. george lee7:29 PM

    Caramba! Esse cara é o cumulo da intelectualoide possessiva! Tem um ciúme tão imaginativo, tão rico em detalhes!Um ciume roteirizado!
    Parabens por mais esse texto, e esse personagem (não sei onde voce tem tanta imaginação prá criar um personagem desse, devia escrever roteiros de filme).
    Forte abraço

    ResponderExcluir
  14. Salvei o endereço do seu blog do orkut que entrei pelo da nossa amiga Lilian Maial, parece que já sabia que ia encontrar alguma coisa boa nele, rs. Hilário cara, hilário seus textos, gsotei muito viu. abço
    Angélica

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…