Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2009

MANGIARE

A mesa posta é cama feita. Lombos e salames vão sugerindo indecências, o sol de mezzogiorno deflora as fogazzas. O ventre e a vitela ao mesmo tempo, um mesmo pasto. Carnes em lanhos atiçam o quase incesto, a desonra. Não tarda o ataque, por baixo da toalha, às coxas esguias. Ele a belisca, é a senha de que a aguarda no caramanchão.
- Que a nonna não nos veja.- Ela ora sua novena, se abana e reza, reza que só ela... terminou mais cedo o almoço, daqui a pouco começa a tarantela e ninguém mais escuta niente.- Perdido, immondo. Somos primos.
Um peito mínimo na palma da mão, o outro dá-se al sugo. Più perfetta Sofia. Pingo de vinho na blusinha branca, sorve-se ali, de pé e na pressa, o cálice da tentação.- Sporcaccione maledeto.- Cala que te arranco a língua, tão feita pra se enroscar na minha, un vero desperdício.- Animal, svergognato. Madonna mia.
Primo e prima, due al dente. Pronto, é manchado o brasão virtuoso dos Tartini. Além do falatório ao longe, o único sinal da famiglia é a fumaça d…

CIENTISTA DE ABADÁ

DEMASIADO HUMANO

Atlas levava o mundo nas costas, e eu inadvertidamente acabei me transformando na versão atualizada do personagem mitológico. A diferença é que Atlas não tinha cobrança, nem a mídia no encalço, nem uma crise que pegou o atlas – desta vez geográfico - inteiro no contrapé. Tudo bem, eu quis que fosse assim, eu escolhi esse objetivo e exauri as forças que tinha e as que não tinha para alcançá-lo. Fiz acordos, abri concessões, renunciei a mim para ser o que agora sou.
Como eu já imaginava, é mesmo muito solitário ser tão absurdamente poderoso. Solitário a ponto de você não se conceder o direito de pensar um pouquinho com seus botões sem que de imediato apareça um arsenal de costureiras para pregá-los.

A HORA H

Homero na mesa 8. Helena na mesa 12.
Homero enfim está de volta. Helena não está à espera.
Homero saiu e ganhou mundo. Helena nunca arredou pé.
Homero guarda as cartas todas. Helena jogou todas fora.
Homero pode explicar tudo. Helena não quer saber nada.
Homero só pede um minuto. Para Helena, agora é tarde.
Homero olha para ela. Helena finge que não vê.
Homero acende um cigarro. Helena odeia fumaça.
Homero atende o celular. Helena retoca a maquiagem.
Para Homero, ela ficou bem de óculos. Para Helena, ele anda mal vestido.
Homero pensa: duas décadas. Helena acha que foi ontem.
Homero é reticente: Peixes. Helena é incisiva: Áries.
Homero acena a um velho amigo. Helena puxa a cinta-liga.
Homero chama outro whisky. Helena mexe o Dry Martini.
Homero lembra do dia em que a viu pela primeira vez. Helena não esquece do dia em que tudo terminou.
Homero não está mais na bolsa dela. Helena continua na carteira dele.
Homero ganhou doze quilos. Helena, vinte e uma estrias.
Homero se rói de aflição…