Pular para o conteúdo principal

VIDE BULA


INFORMAÇÃO AO PACIENTE

Estudos atualíssimos, patrocinados por alguns dos maiores nomes da indústria farmacêutica mundial, dão conta de que nada pode ser mais frio e impessoal que bula de remédio. De onde se conclui que sua elaboração, doravante, deve contemplar uma abordagem lúdica e interativa com o usuário, em linguagem simples, objetiva e sobretudo inteligível.Ou seja, a ideia não é que se doure a pílula, mas a bula que a acompanha. Nossa intenção é elevar a temperatura corpórea do paciente, promovendo maior calor humano entre nosso laboratório e o consumidor.


APRESENTAÇÃO

Olá, amigo(a)!! Meu nome é Cilantilopidatreil, e de agora em diante serei seu companheiro inseparável. Estaremos juntos pelo menos 3 vezes ao dia, após as refeições. Tudo bem que você vai ter que me engolir, mas espero que isso não seja motivo para você me partir ao meio.


COMPOSIÇÃO

Letra de Helmut Pfizer. Música de Ed Roche e Sebastian Bayer. Originalmente concebida para execução em Lá Maior, acompanhada ou não pelo Regional do Capsulinha – às segunda, quartas e sextas - e pelo Renato e suas Blue Cápsulas, às terças, quintas e sábados.


INDICAÇÕES

Siga rigorosamente a seguinte orientação médica: na segunda quadra, vire à direita. Ande mais cinco quarteirões e, assim que encontrar a agência do Bradesco, pegue a sua esquerda e vá em frente, até o terceiro semáforo.A farmácia fica bem ao lado da banca de revistas.


AÇÃO FARMACOLÓGICA

Espasmos involuntários nos músculos da face, contrações abdominais de natureza aguda, perda progressiva do fôlego, do senso crítico e do guarda-chuva no cinema, em casos mais graves.


INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Cilantilopidatreil não deverá ser administrado simultaneamente com moquecas em geral, pastilhas Valda e lança-perfume de fabricação caseira. A administração pela burocracia estatal também poderá trazer sérios danos ao moribundo, por provocar sonolência excessiva.


REAÇÕES ADVERSAS

Variam de discretas erupções cutâneas até o óbito, relatado em 95,7% dos casos. Por provocar diminuição da libido, o coito deve ser interrompido tão logo se inicie. Raciocínio desconexo, amnésia irreversível e descamação atípica no calcanhar direito foram efeitos detectados nos grupos de controle, durante a fase de testes do produto.


PRECAUÇÕES

Sob o efeito de Cilantilopidatreil, manetas que dirigem máquinas operatrizes precisam ser permanentemente monitorados por familiar responsável, devidamente habilitado e com CNH dentro do prazo de validade.


PACIENTES IDOSOS

Pesquisas recentes constataram episódios de disritmia na bateria da Velha Guarda da Portela.


CONDUTA NA SUPERDOSAGEM

Caso ocorra, seja ela intencional ou acidental, raramente acarreta risco de vida – apenas de morte. Quando associada a depressores do Sistema Nervoso Central, como o álcool e seus derivados, induzir o vômito ou realizar lavagem gástrica, ainda que o álcool em questão seja um Johnny Walker Blue Label.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças, inclusive Melhoral Infantil, e dos hipocondríacos. Conservar em local seco e fresco.

© Direitos Reservados

Comentários

  1. Marcelo, a crônica, seguramente, está entre as suas top five... genial!!! LF Veríssimo talvez faria igual, melhor não... vc é bom demais e este texto qualquer cronista consagrado queria ter na sua obra... fantástico...

    ResponderExcluir
  2. Nei Duclós10:16 AM

    Absolutamente sensacional. Matou a pau.

    abs.

    Nei

    ResponderExcluir
  3. Eduardo Lara Resende10:17 AM

    Minhas suspeitas estão a caminho de se confirmarem: V. é um agente.... digo, é um sujeito ligado à indústria farmacêutica. Vá entender assim da hipocondria humana, seu!
    Agora, o Regional do Capsulinha... Perfeito, dr!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Marieta10:25 AM

    OI MANO, ADOREI MUITO BOM MESMO.
    ÓTIMO FINAL DE SEMANA PRÁ VCS
    BEIJOS...

    ResponderExcluir
  5. Cezar Augusto Lopes10:27 AM

    Simplesmente genial! Parabéns!

    Cezar Lopes.

    ResponderExcluir
  6. Ana Victorelli5:17 PM

    muito engraçado!!!!! pra mim que amo uma bula, adorei !!! bjos, até sábado !!

    ResponderExcluir
  7. Maria Célia Marcondes6:30 AM

    Excelente! Parabéns. (não é de se admirar -escrito por você)
    Abraço
    MCélia

    ResponderExcluir
  8. Marco Antonio Rossi10:23 AM

    Caro Marcelo
    Bom dia

    muito bom!
    pena que a bula atual seja escrita em letras tão pequeninas, que mal podemos ler....mesmo com lentes de aumento
    Rossi

    ResponderExcluir
  9. Evelyne11:37 AM

    Marcelo, eu só posso agradecer por ter tido o prazer de ler sua bula dourada! Adorei, mesmo!
    Beijão e ótima semana!

    ResponderExcluir
  10. Ana Maria4:50 PM

    acredito que este texto deve ser muito bem indicado, Marcelo!

    beijos!

    ResponderExcluir
  11. Adriano5:24 AM

    Muito bom!!! É o típico texto que deve ser lido de seis em seis horas com o estômago cheio!!!!!rsrsrsrs!!!


    Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Milena Moran1:16 PM

    Marceleza!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Arrasou di novo!!!rs

    bjinhos,
    Mi

    ResponderExcluir
  13. Maria Ester Esteves2:05 PM

    Genial!!! Ri muito! Ester.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…