Pular para o conteúdo principal

DUÑA CONVIDA


Sua Eminência, o Duña, comunica à população em geral, e aos bípedes de fé vacilante em particular, que estará realizando Retiro Espiritual entre os dias 13 e 16 do corrente, em sítio ainda não escolhido. Os interessados deverão preencher formulário de inscrição próprio, disponível na sede da Associação das Testemunhas da Glória Duñesca, em três vias de igual teor, anexar comprovante de residência e aguardar chamada para o Processo Seletivo – já que inevitavelmente, a exemplo do ocorrido em Carnavais anteriores, a quantidade de interessados em muito excederá as 857 vagas oferecidas.

O Mestre aproveita este comunicado para alertar sobre fanfarrões agnósticos que vêm comercializando, pelo universo e adjacências, formulários falsos e sem o lacre de cera vermelho, que traz estampada a silhueta do Venerável em posição de Lótus. Alguns desses excomungados meliantes têm ainda o atrevimento de vender o gabarito da prova de admissão, por valores que chegam à casa dos R$ 59,07. “O acesso a esta rara oportunidade de iluminação deve ser meritório, e jamais objeto de conchavo, barganha e corrupção”, adverte o Sábio dos sábios. E conclui: “Tal conduta é abjeta aos cânones vigentes e trará como conseqüência a condenação das partes envolvidas à danação eterna, quando inalarão enxofre até que explodam de náusea”.

Na impossibilidade de participar do Retiro, e sendo o fiel coagido a se embrenhar na folia pagã, seja de salão ou de rua, este poderá – e deverá – paramentar-se com a máscara do Duña, produzida e comercializada sob supervisão de Duña Participações Entertainment Inc.,, encontrável facilmente nos bons semáforos do ramo nas versões de papelão, borracha e plástico injetado. Opcionalmente, poderão os seguidores do Mestre se organizar em blocos, confeccionando estandartes de 2,5m por 1.5m com a efígie do Duña, ladeada por alguma de suas tantas frases lapidares. O ato pecaminoso, neste caso, se converteria em trabalho missionário, pois contempla a divulgação da palavra redentora aos frequentadores do inferno.

Mas lançar a boa semente em latifúndios de Satã é empreitada heroica. Faz-se necessária, portanto, a leitura prévia e de joelhos do chamado “Trio Momístico”, obra capital que compreende os seguintes volumes:
. “Transformando o aval da carne em libertação do espírito”, disponível em bibliotecas públicas e na seção de livros do Extra Hipermercados;
. “Transcendendo o chacoalhar das nádegas – o dez passos da autoflagelação purificante”;
. “Se a vida lhe der uma serpentina, faça dela uma mandala” (por Mestre Duña e Beato Lindemberg), 3ª edição, revista e atualizada pelos autores.

Além de roupas suficientes para o período, pede-se trazer os víveres abaixo listados.

Homens: Protector elétrico, aparelho Prestobarba Maxiaction Plus III, urinol (também conhecido como penico), escova de cabelos e sabão de coco.

Mulheres: toalhinhas higiênicas para eventual ocorrência de regras, uma quantidade razoável de prendedores de porta em formato esférico, 750 ml de Água Sanitária de boa procedência e 16 (dezesseis) esponjas do tipo Scotch-Brite.

Crianças não serão admitidas. O staff organizador do evento confiscará quaisquer gêneros alimentícios trazidos pelos participantes, devendo o jejum imperar até as 12 horas da quarta-feira de cinzas.

© Direitos Reservados

Comentários

  1. Evelyne Furtado6:02 AM

    Convite irresistível. Criatividade e senso de humor com a sua cara Marcelo! Adorei! Beijos e saudaçãoes ao Duña.

    ResponderExcluir
  2. Ana Lucia Finazzi6:39 AM

    Olá, primo
    Pensei em ir a um ou outro evento promovidos pelo Duña, mas temo não passar no exame de admissão de um e ser rejeitada no bloco do outro.
    fico por aqui mesmo, rezando pela Ponte Preta.
    beijos
    Ana lucia

    ResponderExcluir
  3. Celi Gustafson Estrada1:27 PM

    AH! AH! AH! quero fazer minha inscrição para o evento!
    Celi

    ResponderExcluir
  4. Marcelo, anuncia aí os quesitos da redenção do ato pecaminoso no jornal local que te garanto que vai chover convertido por aí... êta carnavalzinho do bom... :) Abraços e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  5. Ana Christina Victorelli12:09 AM

    ah marceeeeloooo... um retiro assim taaoo descolado meu, to louca pra ir... ve se vc arranja la com a sua influencia um free pra mim, to pensando em ir de mulher gata...why not??? kissies, fico no aguardo...

    ResponderExcluir
  6. Mario Sérgio Pacheco12:22 AM

    No governo do DF, o competente Kid Calvo lida diretamente com as verbas de publicidade, entrega um saco-de-pipocas...Kid Picareta teria surrupiado o manuscrito na mesa de Kid Calvo, o esforçado.Kid Pilantra desmente —recebi das mãos de Kid Calvo. Puxaram-lhe a cadeira e caiu de quatro. Era 'mané' mesmo. Kid Caolho de olho nas verbas de publicidade bota logo a boca no Globo: — foi do meu celular que Sombra e Água Fresca falou com Kid Calvo! Em frente às masmorras do Legislativo onde escoceiam o povo, quatro homens do Estado de Geórgia cafungados são grampeados, no inquérito eles agiram à mando de Kid Simão, o ex-atual homem forte de Kid Calvo que queria saber com Kid Noblat conseguia sair sempre na frente. Kid Xerife interrompe a tradiconal pelada de fim-de-semana para decidir algemam primeiro a esquerda? Kid Caralho com reduzido número de neurônios ordena defendam Kid Calvo no Jornal Capital.Kid Piolhento, o funcionário público acha graça e vê mal nenhum — Eles vão nos dar 40 horas!

    ResponderExcluir
  7. Rita & Rogério10:07 AM

    Boa tarde!!Tudo que você escreve é muito bom!Seu blog é ótimo.Parabéns!!

    ResponderExcluir
  8. Belvedere Bruno11:38 AM

    De onde vc tira esss ideias espetaculares? rsssssssss
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Caro amigo, avise o mestre da minha imensa vontade em participar do retiro redentor, mas questões de força-maior me obrigam a passar o tríduo momesco numa dieta torturante a base de picanha, torresmo, cerveja, coca-cola e sorvete de macaúba.
    abs e bom Carnaval!!!

    ResponderExcluir
  10. Ana Maria3:09 AM

    Chuqui num vô não,Marcelo!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. José Carlos Carneiro6:26 AM

    Genial, Marcelo, como sempre. Se eu soubesse onde comprar um Abadá, iria para meu retiro transcedental. Ou monumental. Ou factual. Nessas alturas do campeonato, "só sei que nada sei". Portanto, apelo para as reticências, para os talvez, para os quem sabe e por aí vai, como diz o professor Pasquale. Ótimos feriados de carnaval para você e família.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…