Pular para o conteúdo principal

MÃE TINHÃ

Ilustração: Marco Fraga


- A senhora é que é a Mãe Tinhã?
- Bom, o vidente aqui não é o fio, então eu digo pra fio que eu sou eu, porque fio não é brigado a saber. Mas Mãe Tinhã, que sabe tudo, já tá adivinhando quem fio é.
- Polícia. A senhora tem o direito de permanecer calada e só falar na presença do seu advogado.
- O fio é esquentado demais, e gente assim nunca que vai ser fáci entrá no céu, não sabe? Descomprica e fala língua de gente. Mãe tá pedindo, e pedido de mãe não se enjeita. Senta aí, vai, senta aí e acarma o sangue, eu vou pedir pra Dinorah trazer uma aguinha com açúcar...
- Água com açúcar o cacete, a senhora faz favor de vir comigo, eu não tenho o dia todo...
- Mas não é de dia que fio vai resolvê os complicamento, as atrapalhação e toda essas probremaiada que não deixa fio enxergá as coisa direito. Tem que ser de noite, noite fechada, fio. Ói só, vou falar um adivinhamento pra fio crê de vez na véia. Aquelas cadeira que fio tem em casa, não sabe? Pois então, a guia cigana de mãe tá falando no meu ouvido agorinha que tão tudo elas com encosto – não livra uma. Não sente um perturbamento em casa de fio, uns calafrio de vez em quando que sobe do carcanhá pra espinha e uma leseira que deixa fio bocejando sem pará? É as coisa amarrada com caco de vidro e estopa no vinagre envorvendo vodu de fio, fique crente e ciente.
- Sou da polícia, vim aqui acabar com a brincadeira.
- Mãe Tinhã não brinca com coisa séria, fio. Se veio ver a sorte, mãe não falta com a obrigação e tá aqui pra isso, é missão de Mãe Tinhã, que encarnou pra ajudá o povo. Se não veio, pode virá no pé sem oiá pra trás. Tem gente que não credita, faz pouco de Mãe Tinhã. Vidência de mãe é forte, não carece nem ler a mão, baraio também não uso, Mãe Tinhã dá as profecia na bucha - só de oiá no zóio. E mãe não tem religião, religião de Mãe Tinhã é Mãe Tinhã memo. Fio é ficha limpa, que eu tô vendo. Fio veio procurá mãe por causa de amor com nó ou negócio que não vai pra frente? Mãe desembaraça os enrosco, que nem tá escrito lá na tabuleta em frendicasa.
- Olha aqui, Mãe Tinhã, se você fosse boa mesmo de adivinhação ia saber que eu venho do distrito com mandato...
- Mãe já desconfiava, é coisa mandada e é mulé que fez. E fez bem feito e bem encomendado, tudo com artigo de primeira, azeite istravirge e espumante dos melhor que tem. Mãe tá vendo e fio tem que tomá providença. Tem a loira e a morena, e todas duas tem a ver com a viagem que fio tá pensando em fazê e não é de hoje, némemo? Confirma pra mãe, mãe sabe que é. E depois tem o home, aquele um que fio conhece tanto que eu nem preciso falar, que bota olho gordo e tá doidim pra espirrá com fio lá da firma. Esse tá perdido de sujerada pra limpá em outras vida, vai te que vortá muito e capiná pesado pra tirá o peso das costa. Cuidado com ele, fio, mas mãe pode ajeitá as malquerença se fio der três ajoelhada seguida em cima dos oio de cabra e depois deixá um cheque de caução pra arrumá a simpatia nos conforme.
- Mas será que eu vou ter que pegar a algema?!...
- Ara, ara... fio nem vem com perversão pra cima de Mãe Tinhã. Essas coisa de algema, chicote, máscara é doença das ideia. Mas mãe dá jeito. Fio deixa por conta de mãe, já tá incluído no serviço e não carece se preocupá. É cada um que me aparece...

© Direitos Reservados

Comentários

  1. É assim sempre...E se não tiver muito bem a cabeça feita o ''fio dança'' na mão dela...
    Amei!!! Beijooooo...Ah...acabei de fazer o jogo na sena...rss...

    ResponderExcluir
  2. Jorge Cortás Sader Filho11:29 AM

    Tem sempre um espírito a ser exorcizado. Com brincadeira no texto, Marcelo sugere muitas purificações. Necessárias, é bom dizer. Abraço, Jorge

    ResponderExcluir
  3. Patricia - RJ11:30 AM

    Marcelo, ótimo texto. Gostei muito! Mas, essa mãe aí era da boa, se eu fosse ele não brincava com a véia não! Parabéns! beijão

    ResponderExcluir
  4. Maria José de Oliveira - Glória do Goitá11:30 AM

    Olá, Marcelo, acho que a Mãe Tinhâ se faz de boba, mas de boba não tem nada. Muito bom seu texto, divertido, super agradável de ler. Um abraço!!!

    ResponderExcluir
  5. Rita Lavoyer11:32 AM

    Ói, vô ti contá uma coisa. Fica esse fio escrevedô de causo de verdade, dando as ficha dos crientes, que o negócio vai fedê, num sabe? Mexe cum coisa de mãe, ainda mais Tinhã, ói seu moço escrevedô de texto, vai arrumá pra cabeça, siô! Ti contar um coisa pro cê. Prestentção. Iscreve texto de natureza revelada, dá causo pra mais de metro, num sabe? Aí gente vem lê e gosta, né! Dispois num quer mais sair daqui, porque o trem escrividu é bom por demais. Intão a gente não sabe iscreve nas palavras do moço e fica fazendo rodeio. Grande abraçu procê, moço inteligente!

    ResponderExcluir
  6. Miriam de Sales Oliveira11:33 AM

    Te parece qui tu veio do terrêro,bichin',tu é do ramo?kákakakaká.
    Essa tá muito boa. Axé

    ResponderExcluir
  7. Luiz de Aquino11:35 AM

    Muito bom!
    Imbuí-me da missão do policial e fiquei, após concluir a leitura, a imagina como convencer a vidente de que ela iria para a cadeia, rsrsrs.



    Luiz de Aquino
    (de Goiânia)

    ResponderExcluir
  8. Ana Oliveira - Lisboa12:14 PM

    Gostei viu. Entendi tudinho. Obrigada por ter enviado o link. Tudo bom para voçê. Um abraço

    ResponderExcluir
  9. “I num é qui a pulícia num dexou se levá pela cunversa di Mãe Tinhã...”

    Muito bom, Marcelo.
    Ótimo final de semana!
    Abraço, Nádia

    ResponderExcluir
  10. Essa Mãe Tinhã entra para a lista dos seus antológicos personagens. Junto com o Mestre Duña, ardiloso maior, essa vidente picareta é rainha da malemolência. Pra variar, sou despertado numa manhã sabática com deliciosa lavra. abs.

    ResponderExcluir
  11. Cadeira com encosto foi ótima... rsrsrsrs
    Divertido texto.
    Realmente é assim que acontece e nesse mundo de espertos na maioria das vezes todos dão-se de desentendidos.
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Mãe Tinhã além de dominar a arte de advinhar,é muito esperta e estava tentando ludibriar o policial, será que ele cairá na conversa da charlatã? Parabéns, pelo texto Marcelo.

    ResponderExcluir
  13. Celi Gustafson Estrada1:19 PM

    Já dei as joelhada. Ajuda nas malquerença. né?
    Ri bastante , mas é verdadeira...
    Celi

    ResponderExcluir
  14. Dade Amorim1:28 PM

    Marcelo, não sei bem por quê - não entendo nada disso - mas leva o dobro do tempo pra conseguir ler o texto do Consoantes Reticentes. Todos os acentos, cedilhas e que tais viram um quadradinho com as letras FFFD, o que será isso? Parece que o servidor não reconhece caracteres de nossa língua. Avisa a ele que aqui se fala português, por favor! Quero ler teus posts. Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Dade Amorim1:28 PM

    Marcelo, não sei bem por quê - não entendo nada disso - mas leva o dobro do tempo pra conseguir ler o texto do Consoantes Reticentes. Todos os acentos, cedilhas e que tais viram um quadradinho com as letras FFFD, o que será isso? Parece que o servidor não reconhece caracteres de nossa língua. Avisa a ele que aqui se fala português, por favor! Quero ler teus posts. Beijo.

    ResponderExcluir
  16. Gina Júlia Soares - Belém1:29 PM

    hahaha... excelente!!

    ResponderExcluir
  17. Marcelo, Pra variar, um texto delicioso de ler... abração e bom domingo! Frajola

    ResponderExcluir
  18. Roberto Galian1:30 PM

    Maravilha! Delicioso de ler. Tem que trazer mais estes causos de Mãe Tinhã pra gente. Saudade meu irmão. A vida corre bem por estas bandas, caminhos abertos. Parabéns por esta primazia.

    ResponderExcluir
  19. Sônia Silvino1:31 PM

    kkkkkkkkkkkk A d o r e i !!! E o pior de tudo: como tem gente que acredita! Fazer o quê?! rs Beijinhos, Marcelo! Bom domingo!

    ResponderExcluir
  20. Evelyne Furtado1:31 PM

    Salve, Marcelo com mais um texto primoroso e cheio do melhor humor. Adorei conhecer Mãe Tinhã! Beijos e bom fim de semana, amigo.

    ResponderExcluir
  21. Só faltou ela dizer: "tá amarradio, fio"

    ResponderExcluir
  22. Adoro seu humor, Marcelo!
    Amo textos assim e isto vc faz com maestria...
    Mãe Tinhã é bem espertinha... rs
    Bjs

    ResponderExcluir
  23. Atualmente já se consegue monitorar computadores a distância com apenas 1 clique. existem vários investigadores particulares que se juntam a programadores e criam softwares de espionagem muito perigosos para quem utiliza computador com internet. Estes aplicativos podem se instalar a distância de forma imperceptível e captar tudo que a pessoa tecla no computador. Desta forma descobre-se todas as senhas de e-mails daquela pessoa espionada. Isto se torna muito perigoso porque este software espiao pode ser acoplado junto com fotos, filmes e arquivos de qualquer natureza, ficando disfarçado e quando a pessoa abre se instala no computador.Um destes sites vende indscriminadamente este serviço no endereço http://www.investigacao-virtual.info

    ResponderExcluir
  24. Marcelo,
    Esse país tem milhares de mãe Tinhã que dão um jeitinho para sobreviverem as custas das mazelas dos outros.
    Parabéns.
    Abraço

    ResponderExcluir
  25. Mariana Gomes8:16 AM

    Sempre estarei passando em seu blog, as vezes deixarei alguns rastros, outras me calarei diante de tanta beleza!
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  26. Marco Antonio Rossi8:17 AM

    muito boa....
    quantas vezes ela acertou os numeros da mega sena???
    Abç
    Rossi

    ResponderExcluir
  27. Mirze Souza2:16 AM

    Mãe Tinhã. poderia se candidatar. Lábia, ela tem. Deixou o policial no mínimo com uma pulga atrás da orelha.
    Esses encostos nas cadeiras, e quem não tem a uma certa altura da vida um chefe de "olho", uma loura e uma morena.
    Não sabia que isto ainda existia. Mas seu texto comprova que deve haver em algum lugar e deve lotar de "consultas".

    Ela diz que "encarnou" para ajudar o povo. Se é assim, a ajuda direta seria em hospitais, onde tudo falta, e nas periferias onde gente passando fome, não falta. Há ainda a sorte nas lotéricas. Porque não dizer, já que tudo adivinha os números da "mega-sena"?

    Mas vejo essa Mãe, como uma força política. Pelo menos ela deixa dúvidas na mente das pessoas que a procuram. Não é melhor que deixar as certezas que já sabemos que acontecerão?

    "Fio é ficha limpa" e algema é agressão.

    Já deve ter passado alguém com ficha suja, que é o que mais tem, mas será que ela disse? Policial com ficha limpa se submete a isto? Creio que não.

    Por dentro da realidade, ela cita azeite extra-virgem e espumante de primeira. É inteligente e usa as palavras no momento certo.

    Realmente essa "figura" é um caso a pensar.

    Diferente e muito apropriado para esta época.

    Parabéns pelo texto!

    Abraços

    ResponderExcluir
  28. hehehe Um texto assim só podia sair da nossa cultura! xD

    abraço!

    ResponderExcluir
  29. Claudinha Almeida11:31 PM

    gostei muito!
    Abraço


    Claudinha

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…