Pular para o conteúdo principal

AGORA É HORA, ÔE!

Ilustração: Thiago Cayres




Quem poderia imaginar que, a essa altura da vida, o “Perde Tudo” do “Roda a Roda” ia cair como uma bigorna de desenho animado em cima de mim, este pobre servo de Davi? Má ôe, presente de 80 anos, é pegadinha? Heim???

Não dobro a espinha, um judeu da minha ascendência jamais será um decaído sem salvação. Recomeço do nada. Do nada uma ova, tiro proveito da fama que fiz. Volto pra minha banca de capinhas de título de eleitor e de canetas de tinta aguada. Tirava mais dinheiro sozinho que todos os camelôs da Praça da República juntos, apregoando em uníssono canetas muito melhores que as minhas. Pronto, ganho um monte de dinheiro pra mim mas resisto à tentação de ficar abrindo empresas com o tanto que me sobrar. Quando muito abro um novo Baú, mas antes invento outro recipiente. Mais moderno e cibernético. Tem gente que nem sabe mais o que é baú, isso é coisa onde se guardava enxoval de sinhazinha. Acorda, Senor. São novos tempos, funde uma seita, venda a salvação eterna ao invés de carros, lambretas, capas de botijão de gás e bonecas falantes em sorteios semanais – se o freguês estiver rigorosamente em dia com as mensalidades. Venda o que lhe cair às mãos, venda o glacê do bolo e as 80 velinhas como relíquias da grande festa via satélite. Anuncie um striptease seu, a começar pela peruca, no horário mais nobre do SBT e comercialize as cotas de patrocínio a peso de ouro. Pois barras de ouro valem mais do que dinheiro.

Não, não. Esquece. Me aposento de vez e deixo o Portiolli no meu lugar, só fico lá em casa mexendo na grade. Mas grade pra mexer em casa só se for a do canil do cachorro, já que a TV está praticamente vendida. A emissora e os aparelhos que tenho na mansão do Morumbi, incluindo a 14 polegadas do quarto da empregada. Preciso fazer dinheiro rápido, ôe. Só espero que o bispo mantenha a oferta e assine o contrato da joint venture para implantar no Mercosul a Igreja do Santo Silvio. Eu entro com a imagem e ele com todo o escopo logístico e de fomento às franquias. Batismos por atacado em piscininhas de lona, dízimos que retornam em mercadorias à sua escolha e títulos de capetalizalização comercializados nos cultos espalhados a cada oito quarteirões. Mas olha eu aí divagando e deixando pra lá a banca das canetinhas. Marrrr volta lá pro seu lugar, Silvio, sai pra lá, sai pra lá, ôe. Foi desse jeito, criando holdings de mil braços, que você se enfiou em camisa de onze varas.

Senor, o que é isso, Senor, você pode mais. Você opera milagres, é a própria porta da esperança. Um extenso portfólio de produtos para meus telespectadores e colegas de trabalho. Gotículas de saliva silviosantescas para cura de gagos. Bolsos de ternos que guardavam os aviõezinhos para o auditório, vendidos no Mercado Livre como se fossem indulgências da Inquisição. Kits do Pequeno Silvio Santos para o Dia das Crianças. Autógrafos originais, com firma reconhecida em cartório, cuja concessão é do meu genro, casado com a minha filha número quatro. Chats pagos pra falar comigo a qualquer hora do dia ou da noite. Travesseiros e almofadas com a minha estampa, bonecos de pancada para academias de boxe, para quem não é lá muito afeito à minha pessoa. Silvio, agora para. Para ou continua? Heiiiiiimmmmmm??? Má ôe! Ai, ai, ai, viu.



© Direitos Reservados

Comentários

  1. Marcelo!
    Hilariante este texto onde nem eu lembrava mais do “bau”. Lembro que antigamente era oferecido nas ruas e de porta em porta como “esperança” para uma vida melhor.
    Criando um templo, é quase a mesma coisa. Vende-se um produto onde a mercadoria é também esperança, em outra vida, mas os adeptos crescem a cada dia. E “esperança” em templo, significa um lugar ao lado do Criador ou a cura de uma doença, (qualquer uma) ou a prática do exorcismo tirando o demônio do corpo de uma pessoa que sofre de epilepsia. e por aí vai. Mas o lucro mesmo está em vender terras no paraíso. Não sei se já vendem mansão, mas vale tudo.
    EXCELENTE!
    Parabéns, Marcelo!
    Forte abraço!
    Mirze

    ResponderExcluir
  2. Os homens tão insanos
    Com seus ganhos
    E seus danos
    E seus planos
    Parecem enganos!

    Parabéns!

    Tácito

    ResponderExcluir
  3. Paulo Ludmer11:41 AM

    Marcelo


    seja feliz, bom ano, bom tudo


    p aulo ludmer

    ResponderExcluir
  4. Kika Martins11:46 AM

    Que bacana, parabéns!
    Abraço a todos.

    Kika

    ResponderExcluir
  5. Sandra Nogueira11:47 AM

    oi Marcelo, parabéns pelo novo espaço de publicações. Como diz a musiquinha de carnaval “aonde você for eu vou, eu vou e fico à vontade…” rsrsrs
    O bau prometia felicidade, e agora José. Só sei que seu texto provocou-me risos e admiração, como sempre. Ê cara bom!!!!
    beijão
    Sandra

    ResponderExcluir
  6. Jorge Cortás Sader Filho11:48 AM

    Que bom conhecer mais esta conquista;vc merece,é um excelente cronista.
    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Miriam Sales11:50 AM

    Durante toda a leitura estava vendo de memória a imagem de SS.
    Cabelos negros, parecidos com os que usam graxa de sapato preta para o devido polimento, a pilantragem do malandro, que já foi camelô em Niterói, vergonha, minha cidade…
    E o talento do Marcelo ainda insinua – é o que me parece – que uma igreja evangélica não iria mal, ôe, ha ha!

    ResponderExcluir
  8. Evelyne Furtado - Natal3:38 PM

    No novo espaço com o talento de sempre, Marcelo! Bem, uma bigorna na cabeça aos oitenta não é fácil, mas acredito que o Senor irá dar a volta por cima com a sua sugestão da igreja. Um show de humor inteligente e crítico. Bjs

    ResponderExcluir
  9. Tadinho de Sílvio santos...nem ele escapa!! Você é uma figura Marcelo! Parabéns pelo novo espaço no agitobrasil! Bj

    ResponderExcluir
  10. Zezinha Sousa10:19 PM

    Como sempre, venho aqui e me divirto, com baú ou sem baú, o importante mesmo é a felicidade que ficou esquecida lá dentro.
    Parabéns, amigo!
    Um abraço!.

    ResponderExcluir
  11. Leslie Taboas10:21 PM

    OI MARCELO, O TEXTO É ÓTIMO COMO SEMPRE, MAS A EXPRESSÃO “TITULO DE CAPETALIZAÇÃO” É DEMAIS!!!

    ADOREI!!!



    ABÇS. E SUCESSO NO BLOG!!



    LESLIE

    ResponderExcluir
  12. José Carlos Carneiro11:09 AM

    Que gancho você pegou! Uma "análise rebuscada", oportuna, criativa, atualizadíssima, sem dó nem piedade, misturando humor com ironia e deboche. Gostaria de saber de onde lhe vem essa corda toda.

    ResponderExcluir
  13. Oi Marcelo...Sinceramente, num âmbito bem ingênuo, acredito que Silvio é uma pessoa de sucesso e que merecia comemorar os 80 anos com grande estilo. Infelizmente a riqueza dele não foi conseguida de maneira tão simples ou ingênua como eu gostaria de pensar. Afinal, o baú era pra ser de felicidade íntegra...E você, já pagou o carnê este mês??? Acertou na Tele Sena ou rodou o pião?? Ah...Mas bem que acertou aquela palavra no Roletrandooooo..Hehehe...Amei ler você...beijoooooooo...

    ResponderExcluir
  14. Meu caro, suas linhas cheias de humor e talento homenageiam outro talento, o maior comunicador do Brasil. Sou fã do Silvio desde sempre, muito antes de da mídia considerá-lo cult. Rárraaaiiiii!!!

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    O Senor é , sem sombra de dúvida, um grande comunicador, uma pessoa cuja voz e facilidade de articulação de palavras e ideias é sensacional. Mas, com tanto, com tantos caminhos a seguir, poderia ter percebido a hora de parar. Poderia curtir o que amealhou. Mas, como seu texto bem mostra, o homem não para...

    ResponderExcluir
  16. Rafael Paiva Silva4:19 PM

    Parafraseando o velho Sílvio, “agora é hora de alegria” quando leio suas crônicas! Mais uma vez, preciso e perfeito no timing… realmente por esse presente de aniversário o bom velhinho não esperava!
    Aproveitando, espero que você e sua família tenham um Natal abençoado e que 2011 venha cheio de boas surpresas para todos nós!
    Um forte abraço do amigo de sempre,
    Rafrajola

    ResponderExcluir
  17. Marco Antonio Rossi4:20 PM

    MEU AMIGO

    AIAIAI,UIUI.....
    SILVIO SANTOS VEM AÍ.........
    ACHO QUE CHEGOU A HORA PARA ELE VENDER LIVROS COM SUAS MEMÓRIAS........
    QUEM SABE COM O FATURAMENTO MUNDIAL, ELE SALVE O IMPÉRIO QUE CRIOU.
    ACHEI ESTRANHO, QUE TUDO COMEÇOU A RUIR, QUANDO A FAMÍLIA ENTROU NO NEGÓCIO.
    ABRAÇO
    ROSSI

    ResponderExcluir
  18. Maria Inês Prado3:02 AM

    Marcelo,

    Sucesso na nova conquista.

    Abraço, Feliz Natal.

    Minês

    ResponderExcluir
  19. Patrícia Brandão6:13 AM

    Parabéns pela estreia no portal da eptv.com, Marcelo!!! E pelo excelente texto! Ai, ai, ai
    bjs,

    Paty

    ResponderExcluir
  20. Thereza Pires6:36 AM

    Marcelo.Perfeito!
    Bjs
    Thereza

    ResponderExcluir
  21. Pra você ver. Nunca se deve olhar com desdém personagens assim, porque, quando menos se espera, eis que inspiram textos capazes de nos fazer rir como eu, agora.

    Abração, Marcelo.

    ResponderExcluir
  22. Marcelo, parece que esse SS aí, é o Papai Noel do texto anterior.
    Você primeiro contou todas as verdades do homem, às escondidas, disfarçou o pobre de mau velhinho, agora tira a máscara do pobre, digo, ex-rico SS.
    Ex-rico coisa nenhuma.
    Mais uma enganatória. Debaixo desse Baú ainda tem muita coisa.
    Heiiiiiimmmmmm??? Má ôe! Ai, ai, ai, viu.
    Detetive inteligente!

    ResponderExcluir
  23. Diego Oliveira11:28 PM

    'Muito bom... raxei de rir lendo isso, mas ao mesmo tempo, sinto um pouco de pena do Sílvio... Mas mesmo ele quebrado, continua mais rico q eu, então VAI PRA LÁ.. RS'

    ResponderExcluir
  24. Cristina Siqueira11:29 PM

    Oi marcelo,

    e ri!
    Escrever com humor é uma empreitada e tanto.talento!Verve!

    Sucesso no novo espaço.Vc agita até as coisas do baú.

    Beijos ,

    Cris

    Apareça!

    ResponderExcluir
  25. Wilson Donizeti Miranda11:43 PM

    'Olá Marcelo. A cidade de Itu foi agraciada com a presença do querido José Nêumanne Pinto que: "vai direto ao assunto", mas temos que reconhecer que Itu já tem de GRAÇA Marcelo Squassábia que também sabe ir "direto ao assunto". Parabéns. Você é bom, e muito mais divertido. Um abraço.'

    ResponderExcluir
  26. Marcos Claudino10:50 PM

    Só acho que o Senor não tem mais pic pra recomeçar... Deixa que a Menina Monstro (Maísa) assume
    tudo, já que ela é super dotada...

    Belo texto, só pra variar...

    abraço,

    Marcos

    ResponderExcluir
  27. Gina Soares2:48 PM

    O texto é de bom humor, mas tenho muita pena do Silvio.
    É uma pessoa que ajudou a tantos, sempre trabalhou muito.
    Chegou aos 80, e no fim da vida, a vida e as pessoas aprontam com ele...
    bjsss
    Gina

    ResponderExcluir
  28. Lau Milesi11:45 AM

    Marcelo, meu querido amigo, você não existe. Genial !!Você abriu a porta da esperança…de que um dia o nosso Brasil não vá para o fundo do baú.:) Muitos parabéns, amigo. Você é um talento e tanto…

    Um beijo e desculpe a minha demora em vir te ler (o que adoro).

    ResponderExcluir
  29. pretty good post. I lawful stumbled upon your blog and wanted to command that I get really enjoyed reading your blog posts. Any condition I’ ll be subscribing to your maintain and I hope you despatch again soon cheap mobile phone.

    ResponderExcluir
  30. pretty good post. I lawful stumbled upon your blog and wanted to command that I get really enjoyed reading your blog posts. Any condition I’ ll be subscribing to your maintain and I hope you despatch again soon buy louboutin shoes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…