Pular para o conteúdo principal

CONTRATAMOS



Ilustração: Thiago Cayres


O Grupo Industrial e Mercantil Hadock Vronsky Mingana, que congrega as empresas Upa, Upa Cavalo Marinho, Doralice Virabrequins S/C Ltda. e Barros Center Fraldas, em franca expansão de suas atividades, contrata em regime de 40 horas mensais e para início qualquer dia desses:



Sujeito(a) bem apessoado(a) e não-usuário de prótese auditiva para assumir a função pretendida, seja ela qual for, no período compreendido entre DFM (Depois do Fim do Mundo) e AG (Antes do Gênesis), prorrogável por mais algum tempo, dependendo da demanda de mercado. Necessário domínio da mecânica dos moinhos de vento, versão Quixote 4.0. Desejáveis conhecimentos da tabuada do 8 em sistema salteado, além de urina fluente e esperanto para conversação. Experiência em rotinas de aplicação da Norma ISO NBR para industrialização de goiabada de tacho não é imprescindível, mas servirá como critério de desempate técnico no decorrer do processo seletivo.

O candidato deverá enviar CV, com teste do pezinho recente, acompanhado de pretensão salarial e redação do próprio punho argumentando porque se considera apto a assumir o posto.



© Direitos Reservados

Comentários

  1. Mirze4:16 AM

    Marcelo!

    Incrível sua criatividade!!!!

    Usar DFM e AG num anúncio onde até esperanto é recomendado, e o teste do pezinho num sujeito já barbado é ter muita imaginação; se o teste fosse como na ilustração eu seria candidata, porque adoro cócegas nos pés. Goiabada no tacho, é dose.

    Mas é bem capaz de haver anúncios assim. E o seu pelo menos requer algum conhecimento literário: versão Quixote 4.0

    Excelente humor!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  2. ... bem, meu caro amigo... REPROVADA e DESCARTADA na seleção de CV... nem me assanho a enviá-lo... seria reprovada no teste do pezinho... apesar de ser tamanho 34ok? Não imagine nada, por favor!! Apenas ODEIO cócegas,,, cf ilustração acima! Abraço amigo da Célia com imagem mental desse candidato!! hehehehe...

    ResponderExcluir
  3. Claudete Amaral Bueno2:31 PM

    Eu n/ quero ser contratada......meu pezinho....bem, é um pezão!!!!!!

    Claudete

    ResponderExcluir
  4. Tony Marques2:33 PM

    Marcelo,

    Bacana! Me agradou bastante essa proposta de emprego com prazo determinado, mais ainda, com possibilidades de prorrogação. A necessidade do domínio da mecânica dos moinhos de vento, versão Quixote 4.0, também me deixou animado, já que moinho de vento é meu ponto fraco.

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  5. Evelyne Furtado2:34 PM

    O mercado cada vez mais exigente, hem?Quem há de se candidatar? Não tenho a menor idéia, mas só você seria capaz de criar um anúncio assim, Marcelo. Criatividade e talento em abundancia! Beijos e bom fim de semana, amigo.

    ResponderExcluir
  6. Miriam Sales2:34 PM

    Santa Imaginação.
    Só não me candidato porque sinto cócegas nos pés. bjs

    ResponderExcluir
  7. Jota Effe Esse2:35 PM

    Gostei do anúncio, vou mandar meu CV incompleto, porque no meu tempo não havia o teste do pezinho, mas tenho outros testes, vale? E se eu for selecionado, vou ganhar tanto quanto o Sarney? Meu abraço.

    ResponderExcluir
  8. Jorge Sader Filho2:35 PM

    Nem mesmo Stanislaw Ponte Preta, humorista nas suas crônicas que ficaram conhecidas, seria capaz de arrumar uma barafunda como esta do Marcelo.
    Seu nome verdadeiro era Sérgio Porto. Na certa cumprimentaria, como eu, o autor desta baderna muito bem organizada.
    Abraço,

    ResponderExcluir
  9. Sandra Nogueira2:36 PM

    Marcelo, caríssimo, Deus conserve essa imaginação leve e solta e a inteligência acesa que cria esses textos excelentes. Adorei o teste do pezinho, ótima idéia.
    abração

    ResponderExcluir
  10. Gina Soares2:37 PM

    As empresas de RH deviam se inspirar no anúncio… rsssss
    Excelente humor 2…
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Eliza3:33 PM

    Cômico demais!!! O nome das empresas é bem sugestivo ao tipo de emprego pretendido. Adorei. Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Clotilde Fascioni3:33 PM

    Marcelo, meu amigo, espero que tenha recebido na sua caixa de correio eletrônico toda a documentação necessária à pretensão do cargo.
    Quanto ao motivo para assumir o posto, assim o faço por me considerar totalmente “aparelhada” física e intelectualmente, além de dispor das 40 horas mensais para tão relevante atividade.
    Abraços e continue a nos brindar com suas deliciosas divagações.

    ResponderExcluir
  13. Não, eu não passaria...goiabada é o meu fraco...risos...beijo, querido!

    ResponderExcluir
  14. José Claudio - Cacá1:45 AM

    Se aquela previsão dos Maias estiver correta, em 2013 é bem provável que precisemos de muita gente com estas qualificações e outras mais inusitadas. Tá tudo tão comum, né?, apesar das aparências de complexidade. hahahaha! Muito boa, Marcelo. Abraços. paz e bem.

    ResponderExcluir
  15. Cristina Siqueira9:59 AM

    Genial.
    Disse rapidinho tudo que é sem noção simbolicamente mencionado com o teste do pezinho.

    Admiro sua fluência.Com humor é bem difícil.

    Cris

    ResponderExcluir
  16. Leslie Taboas11:18 AM

    Estava um pouco atrasada nas suas leituras!!

    Hoje li algumas. Adorei Bulhufas e Zero a esquerda!!



    Abçs.

    Leslie

    ResponderExcluir
  17. Meu amigo, como de hábito um texto hilário de humor que é o fino, mas o critério de desempate é de sentar pra rir: aplicação do ISO na fabricação da goiabada. Aliás, aproveitando a deixa, vou pesquisar se o ISO normatizou a manipulação das macaúbas. abs do fã

    ResponderExcluir
  18. Caro Sr. Marcelo, em breve receberá uma intimação da Justiça do Trabalho em que constará auto de infração visto que no edital não pode haver discriminação de deficientes auditivos, pois o aparelho auditivo deixa o candidato apto para o exercício da função. Percebe-se irregularidades já na admissão, imagine após a contratação! Nosso fiscal o visitará em breve. Boa Noite.

    ResponderExcluir
  19. Marcelo, elogio ao seu texto é redundância. Por isso, como disse a Célia lá em cima, quero fazer justiça ao seu ilustrador, que acaba completando a sua mensagem. Sempre que venho aqui, fico analisando as ilustrações do Thiago. Ele é tão bom quanto você. Cada um na sua arte.
    Parabéns a ambos.

    ResponderExcluir
  20. Oi.Você é demais,bom humorista e um excelente escritor.Parabéns Marcelooooooo!


    Abraços,Lúcia

    24/07/011

    ResponderExcluir
  21. Prezados Senhores,

    envio anexo meu CV e argumento que não me considero apta a assumir o posto.
    A princípio devo afirmar que não possuo prótese auditiva, mas sou portadora de parafusos e placa de titânio inseridas no cérebro e crânio. Presumo ter conhecimentos suficientes de mecânica de moinhos de vento, graças à minha experiência com Sancho Pança, não tenho problemas com a tabuada do 8, visto ter eu dez dedos, somando os das duas mãos. Falo sofridamente o esperanto, também o banto e o latim.Este último idioma adquirido na experiência em lidar com o cãozinho de minha filha caçula. Posso exercer o controle de qualidade perfeito para produção de goiabada de tacho, mas proíbo os tachos de cobre, pela contaminação que pode causar. Porém, apesar de todas estas minhas grandes qualidades, creio não poder preencher esta vaga, pois não possuo pezinho desde meu primeiro ano de vida. Assim, imagino que um número 36 não faria jus ao renomado cargo. Por isso, me demito, antes mesmo de ser admitida!


    Hahahaha, adorei brincar Marcelo! Ótimo texto! Ótimo exercício! Beijo!

    ResponderExcluir
  22. Marco Antonio Rossi8:22 AM

    BOM DIA MEU CARO AMIGO E VIZINHO.
    ESTOU ENCAMINHANDO MEU CURRICULO PARA O CARGO ESPECIFICANDO SER ESPACIALISTA EM SOROBAM E UM PAPIBAQUÍGRAFO POR EXCELÊNCIA.
    AGUARDO CONVOCAÇÃO PARA ENTREVISTA.
    UM GRANDE ABRAÇO
    ROSSI

    ResponderExcluir
  23. José Carlos Carneiro8:24 AM

    É o mesmo que tentar encontrar um especialista em generalidades e dar com os burros n'água, foi o que pude deduzir com meus botões. Mistura de fermento biológico com resíduos de casca de banana. Divertidíssimo, Marcelo, o que não é novidade. Em seguida envio uma policrômica e desbundante homenagem aos irmãos que admiro muito.
    Um abrço e ótima semana.

    ResponderExcluir
  24. Adriano Neves8:24 AM

    rsrsrsrsrs........Barros Center Fraldas..esse eu lembro, na Paula Bueno!!!rsrsrsrsr...tô pensando em enviar meu CV pra eles........

    abs.
    Adriano

    ResponderExcluir
  25. http://laurodaros.blogspot.com

    Esse é um blog que também vale ser visitado, comentado e seguido! Um excelente escritor!

    ResponderExcluir
  26. Mara Narciso2:30 PM

    Nossa que complicação! Gostei mais do item sobre a goiabada de tacho. Risível. De fato há pré-requisitos incompreensíveis em certos empregos. E você vai lá, Marcelo, e cata todos.Muito bem!

    ResponderExcluir
  27. Sonia Silvino3:44 AM

    Só de ver a imagem, comecei a rir, pois sinto muitas cócegas. Ir à pedicure é um desafio para mim. rsrsrs
    Amei o texto e me diverti.
    Beijos, Marcelo querido!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…