Pular para o conteúdo principal

RELÍQUIAS




Ilustração: Thiago Cayres

Com inenarrável satisfação, comunicamos aos amigos, frequentadores e à comunidade em geral que, no recente ranking publicado pela Associação Mundial dos Leiloeiros, ficamos posicionados pelo quinto ano consecutivo em terceiro lugar, atrás apenas das casas de leilão Sotheby’s e Christies.



Queremos dividir esta representativa conquista com todos os que prestigiam o nosso trabalho, e aproveitamos para informar as próximas raridades a serem leiloadas por nosso intermédio, detalhadamente descritas a seguir.

- Pequeno frasco contendo aproximadamente 7ml de água colhida na torneira do quintal da casa habitada por Neneco, baterista do lendário "Sambalançando", 3 meses antes do mesmo tornar-se celebridade nos palcos de Osasco e Guadalajara. Em poder da faxineira que prestava serviços à época, na residência de Neneco, o item possui Certificado de Autenticidade, lacre com holograma antifalsificações e assinatura de perito juramentado. Deusdinéia de Jesus afirma ter acompanhado, enquanto regava as plantas, vários ensaios dos futuros ídolos das gafieiras dos anos 50 e 60. Antevendo o sucesso que em breve fariam, a profética serviçal desviou um balde cheio até a boca da referida água, tendo comercializado, quando do estouro da banda, milhares de frascos a peso de ouro – que renderam à doméstica três apartamentos duplex e um triplex no bairro de Perdizes. Este último frasco remanescente, que irá a leilão em novembro próximo, contém as derradeiras gotas da aquosa preciosidade.


- Uma folhinha de grama do tipo Esmeralda, muito provavelmente pisada por um ou mais membros do "Formidable's Summer Trio", quando a caminho do palco, no show que fizeram dia 03/11/2005, por ocasião da Feira Agropecuária e Industrial de Formosândia. Análise microbiológica da relíquia detectou fragmentos de borracha vulcanizada que coincidem com o tipo de sola do calçado utilizado pelos integrantes do conjunto, que alçou o estrelato pelas mãos do saudoso maestro Luiz de Arruda Paes.


- Prova, contendo erro crasso de revisão, da página 72 do livro “Marimbondos de Fogo”, obra que rendeu ao ilustre ex-presidente José Sarney uma cadeira na Academia Brasileira de Letras.


- O quarto e mais valioso item encontra-se em exposição provisória na antecâmara do nosso recinto de leilões, sob uma redoma à prova de balas. Transportado em carro blindado com escolta de 12 viaturas, o artefato fez parte do acervo pessoal da soprano Maria Domitila Ferraz Gotlieb, que notabilizou-se como a mais esplendorosa Vanusa cover de Sorocaba e região. Trata-se de um guardanapo folha dupla, medindo 42x42 centímetros quando aberto, com marcas de batom da artista misturadas a resquícios de espaguete à bolonhesa, prato servido à diva cover e sua trupe após show no Clube Athlético "Afufe o Fole", com sede na estrada vicinal que liga Agudos a Agudos Mirim. A renda obtida pelo leilão deverá ser revertida a oito diferentes entidades assistenciais de Morrinhos – GO, conforme prevê o testamento deixado pela artista.




© Direitos Reservados



Comentários

  1. Sensacional, Marcelo, parabéns! No entanto, conto aqui, entre muros virtuais, que guardo comigo algumas relíquias dessa ordem, colhidas por aí, como, por exemplo, um pedaço de pasta rasgada, onde está escrito (coisa de 35 anos atrás) com a letra redonda do meu marido: "pode rasgar a pasta". E digo mais: isso não está à venda!!!
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Marcelo!

    Leilão de guardados e de erros como Marimbondos de Fogo?

    Bem, digamos que eu participasse, pois odeio leilões, qual seria o lance inicial? Não consigo imaginar um valor para a água, para a grama nem para o guardanapo.

    A água que rendeu três triplex devia ter algo misturado.

    Mas você e sua percepção estão certíssimos. Arrancar pedaços de camisa de ídolos, apanhar as calcinhas do WANDO e guardar??????

    É falta do que fazer e crer.

    E eu aqui depois de um apagão precisando de ajuda....


    Excelente!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  3. Olá, Marcelo! Faxina... (não a da Dilma...) é o que ando fazendo na minha existência para não deixar "grandes lucros" de entulhos ao único herdeiro das quinquilharias existentes... Evitar-se-á com tal procedimento o aluguel de caçamba na porta do edifício!! Abraço e ótimo final de semana! Célia.

    ResponderExcluir
  4. Cristina Siqueira12:28 PM

    Oi Marcelo,

    Vc brindou meu fim de semana em humor logo cedo e olha que eu estou em Trancoso onde se ri facinho,facinho.

    beijos,

    Cris

    ResponderExcluir
  5. Jota Effe Esse12:28 PM

    Aonde estsva o nosso ilustre Ministro da Defesa, Danton Jobim, que não determinou arrematação compulsóra desse relíquia? Meu abraço.

    ResponderExcluir
  6. Jota Effe Esse12:28 PM

    Corrija-se o nome do citado ministro para Nelson Jobim.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Lembro-me bem da família Gotlieb lá de Morrinhos. Caso o lenço seja arrematado isso irá ajudar imensamente as oito entidades carentes de lá, uma delas ( a que eu sou diretor)está asilada a tia-avó da cantora com Doença de Alzheimer. Parabéns pela crônica no dia do aniversário de sua tera do coração, onde o peixe ronca! Abração!

    ResponderExcluir
  9. Mirze2:48 PM

    Que leilão! Ficando apenas atrás da Sotheby’s e Christies.? Mas impressiona, as peças leiloadas, daí a ilustração do querido Thiago com um martelo tãaaaaaaao nobre!

    Sinceramente eu não participaria desse leilão. Não me atrai coisas de ídolos como Neneco. Impressionante é a página 72 de Marimbondos do fogo de Jose Sarney? Precisaria de lance?

    E o guardanapo…. bem pode-se escrever algo em cima? Só assim terá valor.

    Sua criatividade e senso de humor, aumenta a cada dia, na mesma proporção das gargalhadas que dei.

    Beijo, amigo

    Não leiloe esse texto.

    Mirze

    ResponderExcluir
  10. Claudete Amaral Bueno1:10 AM

    Oi!

    O QUÊ VOCÊ VAI ARREMATAR NESSE SENSACIONAL LEILÃO??????????? FIQUEI CURIOSA! rssssssssss

    Abraços!

    Claudete

    ResponderExcluir
  11. Dade Amorim1:11 AM

    Caramba, e o que fazia a diva Gotlieb nesse cafundó (com todo respeito, é claro)?
    Texto hilário, Marcelo.
    Um abração.

    ResponderExcluir
  12. Jorge Cortás Sader Filho1:12 AM

    Embora as valiosas peças descritas pelo ilustre e talentoso leiloeiro Marcelo sejam de alto valor, a hasta não se realizará, pois no convite não constam data e local.
    Aquele abraço, mestre.

    ResponderExcluir
  13. Zezinha1:12 AM

    Olá, Marcelo, mais uma relíquia encontro aqui.
    Acho que esse texto vai dar ideias pra muita gente por ai, afinal três apartamentos duplex e um triplex pela água da torneira do famoso é tentador!
    Fico aqui assistindo ao leilão pra ver quem leva todas essas coisas fantásticas e de valor inestimável!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Evelyne Furtado1:13 AM

    Leilão imperdível com humor de sempre. Beijos e obrigada pelo prazer de mais uma vez conferir seu talento, Marcelo.

    ResponderExcluir
  15. Cacá4:33 AM

    Dou-lhe uma, dou-lhe duas, dou-lhe três vivas, Marcelo. Abraços e ótimo dia.

    ResponderExcluir
  16. Vânia Maria Prado10:21 AM

    Parabéns pelo texto. Admiro seu talento.

    Abçs, Vânia.

    ResponderExcluir
  17. Tony Marques10:23 AM

    Marcelo,

    O quarto itém me transportou a um passado não muito distante, trazendo-me lembranças vivas da magnífica cantora Vanusa, por meio da não menos famosa Maria Domitila Ferraz Gotlieb, cover da maior intérprete de todos os tempos do nosso glorioso Hino Nacional. Alías, não somente ela, mas também a grande Fafá de Belém quando da campanha “Diretas já” e o fabuloso Luan Santana, nos brindaram com verdadeiras aulas de interpretação… Carreras e Plácido Domingo que se cuidem! Já com relação ao nome do Clube Athlético “Afufe o fole” de Sorocaba, nos vem de imediato, lembranças do publicitário e forrozeiro Jean Garfunkel. Tá vendo quantas boas lembranças, um simples guardanapo medindo 42 x 42 cm, com marcas de batom e resquícios de espaguete à bolonhesa pode nos trazer. Um outro itém trouxe alento a esse humilde leitor, foi a lembrança de que o best seller “Marimbondos de fogo” (você já leu?) rendeu ao ex-presidente Sarney do Maranhão uma cadeira na Academia Brasileira de Letras, esse fato nos dá esperança de que um dia, também poderemos ter a nossa.

    Um forte abraço!

    ResponderExcluir
  18. Araceli1:56 PM

    Olá, Marcelo,

    Sempre me divirto muito lendo seus textos. Adorei um que não tinha visto ainda, “Só dois minutinhos” (acho que é esse o título, se voltar para conferir, o texto é apagado!)…esse leilão vai ser bem concorrido e cobiçado. Manda reservar um clube bem chique para caber todo mundo…kkk. Abraço

    ResponderExcluir
  19. Francisco Coimbra1:57 PM

    Humor com amor se lê, muito bom, obrigado! A_braços!!

    ResponderExcluir
  20. Jesuis! Depois que eu o leio, demoro um tiquim pra comentar. Sabe que dou boas gargalhadas de tudo o que escreve? Que Deus o proteja sempre com toda essa criatividade santa.
    Grande abraço blogal.

    ResponderExcluir
  21. Oi,você deve ser parente do Chico Anício.Tu és demais!Qual o endereço do leilão?

    Abraços,Lúcia

    07/08/011

    ResponderExcluir
  22. Olá meu amigo, adorei o seu "comunicado para as peças em destaque, mas como não ando "boadaspernas" e com um humor lastimável, só deixaria uma perguntinha; será que daqui um tempo por conta de como tratamos o planeta, não iremos leiloar realmente um vidrinho de 7 ml de água, mesmo sendo de torneira? Abrçs.

    ResponderExcluir
  23. Completando... Espero que não, realmente. Abraços

    ResponderExcluir
  24. Gina Soares2:15 PM

    Não perco o leilão por nada neste mundo…. rssssssssss
    Ri de montão!!
    bjs

    ResponderExcluir
  25. Olá Marcelo! O texto é simplesmente ótimo, aliás, como sempre. Fico acanhada em perguntar o valor do lance inicial, pois acho que não é para o meu bico. Porém posso garantir que o leilão fará muito sucesso! Rsrsrsrs, ótimo! Um beijo!

    ResponderExcluir
  26. Eliza3:01 PM

    Difícil dizer qual destas “relíquias” têm mais valor. Aquele pedacinho de grama Esmeralda então…..Um abraço

    ResponderExcluir
  27. Hoje estou passando apenas para lhe fazer um convite.
    Estou falando do www.superlinks.blog.br que é um site agregador que vale a pena visitar, pois é mais um espaço no qual você poderá publicar seus links de matérias, pois é um site sério e com critérios bem positivos.
    Espero que goste da dica.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  28. Quero que entre para o leilão, um grama dessa sua criatividade! Adoro ler vc! Bj, querido!

    ResponderExcluir
  29. Mara Narciso1:09 AM

    Quantos fatos minúsculos se tornam grandiosos sob a sua pena, Marcelo. Quisera merecer uma pequena homenagem dessas, pois em breve estaria famosa. Mas,afinal o que é a fama?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…