Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012

LINDOS COROS NATALINOS

Imagem: http://www.public-domain-image.com

Foi no 201 do Bloco C. Os vizinhos não souberam dizer o que ocorreu de fato antes do grito fatal, nem o que motivou a briga. Ao fim de barulhenta surra, a vulga Eglantina Vinte Arrobas vazou um dos olhos de Amadeu com o osso da sorte do frango da ceia. Pelo menos é isso o que consta no boletim de ocorrência.
Eram doze garotinhos, todos em vermelho e branco. Vermelhos de sangue e brancos de medo, alguns deles também roxos de hematomas. Gritavam alto, e à medida que o faziam eram separados em dois grupos: contraltos e sopranos, para cantarem na missa do galo.
Blitz de rotina. Fizeram sinal para parar o trenó. Uma pedra de crack no bolso acetinado do Noel de loja. Sem tempo para explicações: motorista e renas detidos para averiguação. Na cela, comitê de boas vindas: pau no bom velhinho. Em seguida, salmoura e rabanada amanhecida.
Nem precisava abrir o pacote para adivinhar o que era. Um cinto, de novo. Claro, tem sido assim desde o Natal de nem sei…

ANACRÔNICA

Outro dia um colega de trabalho me mostrou um programinha que ele tinha acabado de baixar da internet: um simulador de barulho de máquina de escrever. Acionado o software, bastava ligar as caixinhas de som e, ao digitar no teclado, saíam ruídos que imitavam o tec-tec da dita cuja. Com o requinte de poder escolher entre vários modelos de máquina. Para cada modelo um som diferente, cópia fiel do original. O mais engraçado é que se ia escrevendo e, ao chegar o fim da linha, tinha aquele barulhão do carro da máquina voltando.

Retornei ao meu lugar e à época em que se datilografava ao invés de digitar. Tinha uns 12 ou 13 anos quando meu pai me matriculou num curso de datilografia da Escola Remington, do Seu Mario Sundfeld. Guardo até hoje o certificado de conclusão - passei com 9. Lembro direitinho do primeiro exercício, só com a mão esquerda: asdf asdf asdf – quatro ou cinco linhas da mesma seqüência, para o aluno memorizar a localização das teclas. Para boa conservação do equipamento, er…

AUTOSSUFICIÊNCIA

Ele mantém sua própria horta e um pomar variado, com galhos que vergam ao peso dos frutos.
Segue à risca a recomendação nutricional de consumir frutas, verduras e legumes crus, para extrair o máximo de suas vitaminas, proteínas, fibras e sais minerais.
Por só comer alimentos in natura, não precisa de gás de cozinha. A água quente para os banhos de inverno é providenciada com um ou outro toco de lenha e uma caixa de fósforos (que dura décadas, tão poucos são os dias frios).
A horta e o pomar são adubados com o seu excremento, o que a muitos pode parecer uma indireta e bucólica forma de autofagia.
Faz uma hora e meia por dia de bicicleta ergométrica, ligada a um acumulador de energia. A força gerada pelas pedaladas produz eletricidade mais do que suficiente para que funcionem luzes, chuveiro e eletrodomésticos da casa.
O ganho de saúde com a bicicleta mantém sua boa disposição e o livra de idas ao médico, mensalidades de planos de saúde e despesas com remédios.
Uma nascente de água quase na d…

DUÑA PEDE A PALAVRA

Duña, o oráculo mór, guardião dos segredos das moléculas e dos vitrais das basílicas, dá novamente o ar da graça. E, sem mais delongas, desova mais uma pílula de sabedoria universal, para regozijo e deleite dos mortais. Segue a íntegra do breve pronunciamento, feito da janela de um busão da Cometa, na quinta-feira passada, quando este fez uma rápida parada na rodoviária de Poço Fundo, MG.
"Não existe a mínima lógica em ser ateu. Por mais que eles, os ateus, batam no peito alegando uma suposta racionalidade em seu argumento (só posso acreditar naquilo que posso provar), desacreditar em Deus é o cúmulo do irracionalismo. E irracionalismo presunçoso.
Observem a formiga. O homem a julga insignificante - não sem razão, é fato, se comparada ao gigantismo físico e intelectual de um ser humano. Caso uma delas saísse de seu formigueiro e ganhasse as praças proclamando a inexistência de Deus, cairia no descrédito e na chacota da opinião pública pela nulidade de seu cérebro, e consequentement…

PARA O PAPA, EM MÃOS

Imagem: Wikimedia Commons - Public Domain



Se der tudo certo conforme planejei, meu filho lhe entregou este bilhete dizendo tratar-se de um pedido de oração meu - sua mãe. Desculpe o pequeno pecado, Santo Papa, mas isso é mentira. Tive que mentir para ele a fim de que esta minha súplica chegasse às suas piedosas mãos.
Sei que, como membro oficial da guarda do Vaticano, ele está aí para tomar conta de Sua Santidade, mas peço que Sua Santidade também tome conta do meu menino. Zelo com zelo se paga. Se puder recrutá-lo apenas para os afazeres domésticos e menos arriscados, seria para mim um alívio e uma forma de aumentar seus créditos junto ao Todo Poderoso. Montando guarda na porta de seus aposentos, por exemplo. Ou trocando a água da sua moringa, mexendo seu cafezinho, escovando suas próteses dentárias, sei lá.
Tendo o senhor a influência que tem, penso que preces em favor dele serão muito bem-vindas. Assim, pelo pé-chato que o atormenta desde tenra idade, peço que reze um rosário todo os …