Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2014

LOOPING

Cristais bisotê: a primeira coisa em que reparei, assim que consegui abrir os olhos. Já tinha ouvido falar em Experiência de Quase Morte, aquilo me parecia isso. Espirais, túneis, uma força puxando para a grande luz.
A mulher muito linda, refletida nos cristais. Mas desconhecida. Nada que me lembrasse, nela, um ente querido já morto me recebendo. Eu poderia estar sonhando no quarto exalando éter. Ou me ambientando ao outro lado. Importava saber. Era justo, era eu no limbo.
- Foi muito tempo na passagem. Você não se deu conta de quanto, ela diz.
Normal. Costelas se descamando, hematomas esparsos, normal. E barba.
-Todos chegam assim, com essa cara de Moisés.
Tentei olhar para os cristais, querendo um reflexo de mim.O carrinho de montanha russa. Descarrilou. Ouço a notícia na TV do quarto, envolto em gesso e calafrios. Mas e a moça dos cristais? Quem? Descarrilei, morri ou alucino em observação?
Água, um jato forte ensopa os meus andrajos. Já sei: estou na montanha russa e passo pela água…

RIBAMARES

Ribamar não deve nada a ninguém, este é o fato. Por mais que conspirem e tentem envolvê-lo em imbróglios difamantes, sua ficha permanece incólume. Tão alva e inatacável quanto a consciência dos verdadeiros inocentes.

E olhe que tentam com afinco manchar seu nome, que já batiza dezenas de ruas, viadutos, postos de saúde e unidades de estocagem de macaxeira espalhadas pelo nosso Estado. Sim, as tentativas diárias de desmoralização se multiplicam de maneira estonteante, atingindo não só o Ribamar político, mas também alguns de seus xarás apadrinhados.

Um exemplo recente foi a insinuação desmoralizante contra Ribamar Leocádio, neto de um fiel correligionário, lotado como assessor de gabinete nível sete desde outubro de 2010. Pesa contra ele a denúncia de jamais ter comparecido ao seu local de trabalho, para tomar posse e assento. Imaginem o pandemônio que ia ser se todo nomeado cismasse em ocupar seu cargo na capital federal? Assistiríamos a um overbooking trabalhista sem precedentes!

Per…

BATE-BOLA

COM NERO

Time de futebol
Botafogo.

Filme
Quanto mais quente, melhor.

Cidade
Lavas.

Música
Me chama.

Uma paixão
Joelma.

Um trauma
Hidrantes.

Um ditado
Onde há fumaça, há fogo.

Jogo
Queimada.

Prato favorito
Macarrão ardente.

Sobremesa
Doce de coco queimado.

Sonho impossível
Extintor de água.

Bebida
Whisqueiro.

Elemento Químico
Fósforo.

Livro
Os segredos do Churrasco.

Cigarro
Aceso.

Pneu
Firestone.

Cor
Cinza.

Desenho animado
Os Brasinhas do Espaço.

Programa de TV
Tela Quente e Temperatura Máxima.

Roupa
Só de queima de estoque.

Lugar mais estranho onde já fez amor
Escada de incêndio.

Viagem
De foguete.

Amar é
Não deixar o desejo apagar.

Defeito
Ter o pavio curto.

Desejo
Tocar cítara tão bem quanto toco fogo.





COM DELFIM NETO

Carro
Renault Selic com câmbio flutuante.

Passeio
Circuito das Águas, com desconto na fonte.

Investimento
Poupe seu tempo e economize espaço no jornal. Duas perguntas já está bom.





COM GIL GOMES

Comida
Presunto.

Música
Ronda.

Filme
Corra que a polícia vem aí.

Livro
Memó…

DISCUTINDO A RELAÇÃO

- Alô, Ego? Aqui é o Alter.
- Walter?
- Não, Alter mesmo. Alter-ego. O seu, pra ser exato. - Olha, eu estou em trânsito. Posso retornar mais tarde a ligação? - Não, não pode. Seu rato filho da mãe. Pústula, desgraçado, hipócrita... tratante, desalmado, usurpador... não vai se defender, não? - Absolutamente. Desconheço a razão dessa ofensa descabida e não costumo me influenciar pela opinião dos outros.
- O problema é que eu sou você. E bota problema nisso.
- Nesse caso, eu exijo ser apresentado formalmente a mim pra continuar a conversa. Não é do meu temperamento me abrir com estranhos, ainda que esse estranho aparentemente me seja tão íntimo. A voz, pelo menos, é igualzinha a minha. Impressionante.
- Tudo bem, então vamos marcar um encontro. Na minha mente ou na sua?
- Nenhuma das duas. Território neutro. Talvez entre o hemisfério direito e o esquerdo do nosso amigo em comum, o que me diz?
- Mas ali, bem na fronteira, ninguém fala coisa com coisa. Vamos ficar lá, feito dois idiotas. Só s…

MEMORABÍLIA AMERICANA

PALETÓ À BOLONHESA
Sim, é certo que até hoje se discute de onde e de quem partiram os disparos. O que não se discute é o fato de que é mesmo de JFK a carne moída respingada nos ombros do motorista que conduzia o presidente pelas ruas de Dallas. Mais de 50 anos depois, o sangue de Kennedy permanece tão reconhecível geneticamente no paletó quanto o esperma de Clinton no vestido daquela mocinha, frequentadora assídua do salão oval.
Perambulando pelo mundo com o laudo de DNA debaixo do braço, o filho do dono da relíquia promete para breve o lançamento de um blazer styled by Stella McCartney, com estampas reproduzindo fielmente as manchas de miolo espatifado do modelo original. Estima-se que pelo menos um em cada quatro cidadãos americanos deverá abrir espaço em seu closet para a nova peça, que já nasce cult e objeto de desejo até mesmo entre os não apreciadores de molho à bolonhesa - caso do vegetariano pai da estilista.
Após o desfile de apresentação da novidade prêt-à-porter para convid…