Pular para o conteúdo principal

MOMENTO DO TEMPO




- Ouvi falar que escalaram o pessoal do horóscopo pra cobrir as férias da turma da previsão do tempo.
- É verdade. Os caras que redigem o horóscopo pra peixes, áries e touro pegam a previsão da região sul. Quem faz leão, sagitário e capricórnio fica com a região centro-oeste. E assim por diante. Daqui a pouco vão passar o comunicado oficial.
- Mas vai sobrecarregar os caras. E hora extra que é bom, nada. O Financeiro não libera. Por mais que seja divertido ficar inventando o futuro dos outros e o tempo que vai fazer, o trabalho é dobrado. Só se a gente pegar uns foquinhas, pra um freelance não remunerado.
- Não precisa. A equipe do horóscopo é boa de imaginação. Eles estão costumados a se virar com 12 signos, 5 regiões não vão fazer diferença. E ninguém tem que ficar preocupado caso acabe chovendo ao invés de fazer sol. Se o CPTEC/INPE, a Somar Meteorologia, o INMET, o Cepagri, o Climatempo e o escambau, com todos aqueles satélites erram sem parar, o máximo que pode acontecer é a gente acertar uma vez ou outra.
- Espera aí que eu tive uma ideia mais inteligente. Considerando que eles erram todas, e ultimamente tem sido todas mesmo, o negócio é a gente pegar primeiro o boletim deles e prever sempre o oposto. A nossa chance de acertar será altíssima. Por esse método de inversão, eu diria que é de quase 100%.
- Boa! E quanto mais a gente acertar, mais pessoas vão passar a ouvir o nosso programa, mais audiência a gente vai ter...
- E mais anúncios vão pingar.
- Pingar, não. Sem trocadilho, vai chover publicidade no "Momento do Tempo".
- De tanto errar, nos últimos meses os institutos oficiais têm sido inespecíficos. Podem reparar. Falam em chuvas isoladas variando de intensidade "em grande parte do país", camadas de nebulosidade se formando lentamente, frente fria das Galápagos que pode ser que chegue por aqui entre quinta e sábado da semana que vem, máxima variando entre 14 e 39 graus sei lá onde, coisas assim, que não tem como errar.
- Então, quando a previsão for inespecífica, a gente também fica em cima do muro. Zona de conforto, sem instabilidades, entende?
- É, faz sentido. Acho que vale mais a pena a gente implementar essa estratégia da inversão do que botar o povo da redação pra ficar inventando previsões sem pé nem cabeça. E, além de tudo, não dá trabalho. Inverteu, tá pronto. É só botar no ar.
- Só que a Rádio corre o risco dos institutos de meteorologia começarem a acertar. E aí, como ficamos?
- Acho que desse susto a gente não morre. Mas, se acontecer isso, vamos para o inespecífico. Até eles começarem a errar de novo, então voltamos para a estratégia de inverter as coisas. Simples e seguro. Se der tudo certo, periga até a nossa Rádio virar referência.
- Já pensou? Um monte de outras emissoras indo na cola do que a gente falar, sendo que o que a gente disser será uma fraude, já que divulgaremos o contrário da previsão científica... Vixe Maria...
- É o que se pode chamar de rigor jornalístico.
- Ô.


© Direitos Reservados


Comentários

  1. Ah! pode ser chamado tbém de zoeira.
    Não pensei e nao quero pensar. Amigo, vc só arruma confusão. Por falar em ócio criativo, onde vc arrumou o seu.?
    Bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. Danado ...ô mente fértil! se é pra zonear ( no papel) vc ta presente. Meu sucessor do Mauro Rasi. Beijos..
    obs: vai chover hoje no RJ???????????????????

    ResponderExcluir
  3. O homem mudou de emprego, gente! E afinal, vai chover ou não? Quando? Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Com sol, chuva ou tempestade, frio ou calor do capeta, é sempre diversão garantida suas crônicas! Colaboração: - região sudeste, tempo nublado... Agora, quanto aos horóscopos, invertindo-se os da semana passada, todos terão bom tempo!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Ah, Marcelo, eu acho que dá muito certo mesmo. Ambos fazem previsões , ideal é mesclar as previsões e tudo vai acontecer. Invertendo as possibilidades, então, nem se fala! Rsrsrs, muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Claudete Amaral Bueno2:09 AM

    Perfeito! É assim mesmo que funciona! Vc já trabalhou nesse sentido c/ eles? rssssssss

    Aproveito a oportunidade pra te desejar um Feliz Aniversário amanhã e que haja um sol
    maravilhoso, um dia sem nebulosidade, sem muito calor, nem frio.....

    E que no novo ano que vc está entrando, haja muita paz, alegrias e muita inspiração boa!
    Que sua imaginação se dilate , cada vez mais! "Para a nossa alegria".......

    Parabéns! Um abração bem forte!
    Claudete

    ResponderExcluir
  7. Rita Lavoyer2:11 AM

    Caro Marcelo, eu não achei o texto. Tentei sábado e nada, hoje idem.
    No consoanteretiente não consigo abrir, no agito brasil sai uma linguagem que não é a minha, mas tem o texto do último testamento.

    Então, pode me ajudar?? Preciso lê-lo!!

    Obrigada
    Rita

    ResponderExcluir
  8. Cris Sguassabia2:13 AM

    É como eu sempre digo:Até em convescote de meteorologista CHOVE!rsrs...

    ResponderExcluir
  9. Antonio Carlos Antoniazzi2:14 AM

    Boa tarde Marcelo. Li o trabalho, e veio-me à lembrança uma história que me contaram, como verdadeira, sobre o "Homem do tempo", o saudoso Narciso Vernizzi. Disseram-me que, para comemoração de seu aniversário, tendo programado um "churrasco" em sua chácara, no município de São Roque - SP, convidou dezenas de amigos. E que estavam eles lá, à beira da piscina, quando caiu forte chuva. Que, a despeito de grande, ficou pequena, naquela oportunidade, como refúgio para os convidados, a casa então lá existente. Aquela chuva havia ficado fora da previsão. DISSERAM-ME.

    ResponderExcluir
  10. Leda Valéria Suppa Basile2:24 AM

    Muitas palmas pra você, Marcelo Pirajá Sguassábia, excelente, como sempre, criativo demais!

    ResponderExcluir
  11. Mara Narciso2:27 AM

    ♫ ♫ ♫ Também vou embarcar nessa canoa, e que não tenha tempestade

    ResponderExcluir
  12. Maria Teresa Fornaciari2:29 AM

    Comecem com o rigor jornalístico na semana que vem, certo? Nesta semana os meteorologistas prometeram frente fria!!! Criatividade em alta, Marcelo Pirajá Sguassábia!

    ResponderExcluir
  13. Leslie Taboas Ornelas2:30 AM

    Sempre um bom texto!! bjo

    ResponderExcluir
  14. Gina Soares2:31 AM

    Rsss... Verdade... Não confio em nenhum dos dois!!!!

    ResponderExcluir
  15. rss, antes de mudar o Ano para 2014 fiquei esperando que explodisse o mundo, a previsão seria essa, e o mundo não explodiu! Agora dependo dos "homi" do Tempo pra sair de casa de sombrinha e galocha. Saio de galocha e faz sol... Sinto que estou viciada em escutar sobre previsões! Vou fazer um tratamento...rss
    Ótima sua crônica!
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  16. Rita Lavoyer1:56 AM

    Opa! Então se as estatísticas sobre aceitabilidade desse ou daquele candidato for nessa onda do oposto está tudo certo e mais 100%- Essa é a estratégia dos marqueteiros de plantão que maquia resultados lavando as mãos de quem usa o bolso para nos mostrar os índices fraudulentos de pesquisas.

    ResponderExcluir
  17. É, Marcelo, a previsão do tempo tem sido mesmo uma grande piada! Meu abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…