Pular para o conteúdo principal

JUNTE-SE A NÓS!




Chega de candidatos de ocasião, que dão as caras agora e que, findo o pleito, escafedem-se como ninjas em filmes de kung fu. Basta de aproveitadores com sua verborragia inflamada e estéril. Cheios de programas vazios, esses embusteiros se apresentam no vídeo com a mão espalmada, apregoando as cinco manjadas prioridades de governo: saúde, habitação, emprego, transporte e segurança. Quero fazer frente a esse engodo que caçoa da boa-fé do eleitor, e para tanto apresento propostas concretas.

Darei combate sem trégua àqueles que são contrários ao nepotismo saudável e desinteresseiro, ao cartorialismo firme e atuante, à legítima barganha de cargos públicos em todos os escalões, ao voto de cabresto a peso de mortadela e ao assistencialismo de fachada.

Atendendo a uma antiga reivindicação da sociedade organizada, azeitarei a máquina administrativa para que funcione a contento. Confiante em minha vitória nas eleições que se avizinham, já deliberei à minha futura equipe de assessores uma tomada de preços para importação do óleo de oliva da marca Gallo (com o perdão do cacófato), extra virgem, em caixas contendo 120 latas de 500 ml. Havendo excedente, o azeite será utilizado para regar as pizzas de minha legislatura, que sem dúvida serão muitas e de sortidos recheios.

O eleitorado da terceira idade terá acesso a um novo modelo de prótese, composto por arcadas lisas e inteiriças, ou seja, sem as repartições a que chamamos “dentes”. Uma peça é afixada no maxilar superior e outra no maxilar inferior. O efeito estético é avassalador, assemelhando-se ao que se vê na maioria dos personagens de desenhos animados. Além de facilitar a higiene bucal do idoso, essa revolução protética dispensa o uso de fio dental, desonerando assim os cofres públicos da compra deste item para os asilos. A fôrma do novo artefato já está pronta e o produto chegará aos postos de saúde em 3 tamanhos.

Implantação do “Halloween Tupiniquim” no calendário de festividades, com o objetivo de manter vivas nossas mais ricas tradições folclóricas. Com ele, diremos não ao imperialismo americano e suas bruxinhas babacas, marshmellows de variadas cores e cabeças de abóbora iluminadas. Os monstros ianques darão lugar ao Boi da Cara Preta, ao Saci, à Cuca, ao Boitatá e ao Chupa-Cabra. A gurizada, por sua vez, passará pelas casas à cata de doces típicos da nossa culinária, como o quebra-queixo, a pamonha e o pé-de-moleque.

Incentivos fiscais para pequenos produtores de mandruvá em cativeiro, projeto que acalento desde os tempos de vereança. Devo lembrar aos eleitores que a indolente lagarta, abundante em nossa região, tem eficácia comprovada na erradicação do escorbuto e de outras hipovitaminoses que assolam as populações desassistidas, especialmente as comunidades ribeirinhas.
Programa “Espana, Brasil!”, que prevê a produção de espanadores com pena de codorninha do mato. Toda a produção será escoada para acabar com o pó de países vizinhos, como a Bolívia e a Colômbia.

Se suas aspirações encontram eco em nossa plataforma de governo, junte-se a nós. Empunhe nossa bandeira, leve no peito nosso botom, convença seu vizinho ou colega de trabalho de que a nossa causa é a causa de todos. À vitória, companheiros!


© Direitos Reservados

Comentários

  1. Antonio C. de S. Antoniazi8:41 AM

    Candidato está distribuindo pares de sapatão para seus eleitores. Antes do eleitor ser encaminhado para a sua Zona e respectiva Seção eleitoral ganha um pé de um par de "sapatão". Após ter votado, e após a apuração dos votos, se eleito o candidato, o eleitor poderá ir retirar a outro pé do par de "sapatão".

    ResponderExcluir
  2. Espero a verba de V.S.ª para produção científica de mosquitos contra a dengue... e revoltada com o extermínio das codorninhas, ficando carecas, em pleno Dia das Aves / e dos Animais... Cuidado que São Francisco veta a sua candidatura, hein!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Paulo2:11 AM

    Admito, temos de ter muita coragem de dizer o que pensamos, masmo que não seja por nós pensado, mas que promova o riso nervoso dos sem esperanças.
    Em política, penso, falta a clareza e a franqueza que vejo no teu texto. Serias um candidato em quem gostaria de votar, rsrsrs. Não pelo que vejo aqui acima, mas pela inteligência e espírito. Só não votaria em ti se soubesse que poderías ser eleito, mesmo; seria um crime estragá-lo pela convivência e osmose da nova vida.
    Cinco dedos de uma mão aberta mostram cinco direções diferentes. Um punho fechado só uma direção.
    Agradeço teres azeitado meu sábado com estas palavrinhas, e dá-lhe pizza.
    Estou surpreso com as inventividades como o Dia-das-bruxas made in Brazil, temo que os madaruvás sejam usados como arma biológica, porém o “Espana Brasil” é muito genial, também poderiam ser chamados, depois de usado, como espanadores cheirosos.
    Veja, você não serve para a política nacional atual, com esta tua pegada de “ingênua ironia”… não, deves escrever e muito. Faltam estes gritos em nossas páginas.
    Grato.

    ResponderExcluir
  4. Marco Antonio Rossi2:15 AM

    JÁ GANHOU!!!!!!!!!!!!!
    NÓS NELES!!!!!!
    Abraço e um ótimo final de semana.
    Rossi

    ResponderExcluir
  5. Gente! Você tem uma estratégia de campanha "felomenal"!
    Assim já ganhou mesmo!
    Já aderi! E, depois, quero saber mais sobre esta prótese de arcadas lisas. Me lembrou minhas dentaduras de casca de mandioca, que usava para assustar quem passava pela minha janela! Agora, não terei mais que esculpi-las!
    hahaha
    Ótimo! Beijo procê!

    ResponderExcluir
  6. Plataforma interessantíssima, o amigo já pode contar com meu voto e o meu grito de já ganhou! Já ganhou! Abraços Marcelo e que ganhe o melhor para o povo. ♥

    ResponderExcluir
  7. Sinceridade acima de todas as causas, e não coisas. Boa demais!

    ResponderExcluir
  8. Fabuloso. tocuntigoenumabro....

    ResponderExcluir
  9. Uai, eu, jose hamilton brito posto o comentário e sai no nome de Emilia goularet...quediabuéissu?

    ResponderExcluir
  10. Marco Antonio Rossi5:16 PM

    JÁ GANHOU!!!!!!!!!!!!!
    NÓS NELES!!!!!!
    Abraço e um ótimo final de semana.
    Rossi

    ResponderExcluir
  11. Claudete Amaral Bueno9:39 AM

    Oi!
    Gostei muito de sua plataforma de governo...a prótese dentária é fantástica!!!!!
    Sugestão: acho que deveria ser feito um espanador-mirim, com penas de pardais....que tal?
    Boa semana! E n/ se esqueça do segundo turno! Colocar a Dilma lá........em Cuba!
    Claudete

    ResponderExcluir
  12. Clotilde Fascioni9:40 AM

    Muito bom, recomendo.

    ResponderExcluir
  13. Clauduarte Sá9:41 AM

    Muito bom meu amigo Marcelo Pirajá Sguassábia!..

    ResponderExcluir
  14. Jose Carlos Carneiro4:45 PM

    Ainda bem que o Polishop dá solução para tudo. Não fosse essa ferramenta que me ajuda horrores, sei lá como entenderia a profundidade das suas crônicas e de onde você garimpa tantas ideias repletas de humor e criatividade. Nesses sentidos você é mesmo um ponto fora da curva.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. pois é, meu caro, sua pena sempre surpreendente desta vez coloca na boca dos políticos o que eles realmente fazem e não as vãs promessas de campanha. abs do amigo e fã.

    ResponderExcluir
  16. Mara Narciso12:24 AM

    A sinceridade poderá atrapalhar seus intentos. Ainda assim, boa sorte!

    ResponderExcluir
  17. Atrasadíssima para o comentário, mas cá estou eu para votar na urna que ainda está aberta, já que ainda não inventaram urna que receba meu crédito. Voto em você porque sua plataforma é igual à da sandália ANABELLA, confortável e não estupora varizes.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…