Pular para o conteúdo principal

DELMA NÃO SABIA





O que tem a dizer sobre as denúncias do esquema de propina na Petrobras, onde 3% de todos os contratos ficavam para o seu partido?

No que se refere a essa história da capa da Veja, eu devo dizer que... falar que o PSDB varre tudo pra debaixo do tapete. Falar do mensalão tucano, falar da falta de água em São Paulo, falar do desemprego no tempo do Fernando Henrique. Falar do escândalo das privatizações e da emenda da reeleição. Falar que no meu governo tudo mudou pra melhor, e que, com o projeto “Brasil Carinhoso”, milhares de famílias...

A senhora não respondeu à pergunta. Essas folhas aí que a senhora está lendo provavelmente eram a sua “colinha” para os debates... me parecem lembretes para orientá-la...

Ai, meu Deus, que cabeça a minha. Tem razão. Ai, ai, ai... Deixa eu pegar o papel certo aqui, só um momento... Então, no que se refere à resposta que você me pede, se eu disser que não sabia de nada dessa história, seria uma inverdade. Eu desconfiava, sim, mas não tinha provas ou não queria aceitar que estava cercada de Iscariotes os mais variados. É como uma mãe, que sabe que o filho está metido em tráfico de drogas mas no fundo acredita que ele só sai de casa pra ir à escola dominical, compreende?

E quanto a todas as outras acusações de corrupção e mau uso do dinheiro público, envolvendo ministros e assessores diretos?

Pois é, no que se refere a isso tudo a que você se refere, eu fiquei passada quando a coisa foi pipocando na mídia. Ensandecida, fui me aconselhar com o Suplicy, que em questão de honestidade está acima de qualquer suspeita. Cheguei no apartamento dele em hora imprópria. Estava muito ocupado, de robe de chambre e com o rosto besuntado de creme esfoliante, redigindo a nova versão do projeto Renda Mínima. Cheguei e já fui destilando minha ira. Senti que ele me escutava, mas não ouvia. Depois que contei meu dilema ético, ele virou pra mim, baixou um pouco os óculos e disse apenas, com aquele seu olhar de ET da terceira idade: “Delma, o nosso partido jamais faria uma coisa dessas. Ponho minha mão no fogo, ponho o meu projeto de lei no fogo, eu toco fogo no Supla se for preciso!”. Dito isso, ele passou mais uma boa demão de esfoliante nas orelhas e no nariz, e em seguida insistiu pra que eu lesse um whatsapp cheio de segundas intenções, que ele queria mandar para a Joan Baez, antigo e ilustre affair. Lembro que a mensagem falava qualquer coisa sobre renda mínima, de que ele queria ver a renda mínima dela, algo assim.




Ainda no que se refere a essa história, eu disse aos companheiros que, se as acusações tivessem fundamento, teríamos que procurar os culpados e cortar na carne. Nesse momento o Lulinha entrou aos berros no gabinete, não se sabe de onde, dizendo que podia cortar qualquer carne, menos a Friboi. Não entendi o que tinha a ver uma coisa com a outra, porque o rapazinho, que eu saiba, nunca lidou com esse negócio de pecuária e frigorífico. É quase uma criança, até outro dia mesmo só mexia com games.

Consta que seu comando de campanha enviou mensagens SMS aos beneficiários do Bolsa Família, afirmando que o benefício iria acabar caso o governo Delma não continuasse. É verdade?

No que se refere a isso, eu acho que quem tem celular pra receber SMS não precisa receber Bolsa Família. Ou seja, se o sujeito recebeu a mensagem, ele não era o público-alvo dela. Pensa bem, meu marqueteiro não iria ser burro a ponto de montar uma estratégia tão ilógica.

Qual a sua versão sobre o uso dos Correios para distribuição de propaganda política do PT?

No que se refere a essa questão epistolar, a grande verdade é que não tem nada demais nisso. Se o carteiro vai ter que ir na casa do cidadão entregar carta, já aproveita a viagem e entrega um papelzinho nosso. Que é que tem de mais? Veja bem, ninguém tá mandando o carteiro nas casas dos brasileiros e brasileiras só pra entregar a propaganda... Aí sim, seria safadeza.

Muitos analistas sustentam que o seu know-how no assalto aos cofres públicos vem dos tempos da ditadura, como assaltante de banco...

No que se refere a esse mau passo involuntário, eu era contra a ideia desde o começo. Mas fui coagida por um companheiro, vulgo Bola Sete, a participar. Acabei concordando quando me afiançaram que eu ficaria só na retaguarda e que o revólver era de espoleta.


© Direitos Reservados

Comentários

  1. cristini2:52 AM

    Confio em você Companheira Delma!!
    Agora ficou tudo esclarecido no que se refere...

    ResponderExcluir
  2. Delma eu não sou o Frei.../
    o que falam de ti são verdades/
    Delma eu também falei! /
    Não sou tão burra assim/
    não sou capanga, não!/
    Dizias que não sabias.../
    não sabias que tinha um irmão/ que recebia sem trabalhar/
    era mais um teu pistolãããããõoo/
    Delma, vá pro inferno/ lá sim é o teu lugar/
    O Brasil já não te quer mais/
    Dizes que és democrata/ mas és pior que os generaaaaisss!
    Delma incompetentA /
    tua cegueira chega doer, doer, doer.../
    o meu desejo é que vás, é que vás se "ferraaar!!"


    ResponderExcluir
  3. Como crônica está perfeita e engraçada. Na vida política temos tido muito mais para chorar do que pra rir. Ainda assim, prefiro muito mais a concepção/ ideários do Partido dos Trabalhadores do que as ações praticadas pelo PSDB desde FHC. O bom é que partilhamos de ideias nossas e textos nossos. Amizade à parte, melhor. Beijo, querido!

    ResponderExcluir
  4. E, os velhos chavões continuam: "Não sei de nada"... "Não vi nada"... "Não me informaram nada"... Afinal, também não sabem como descer do palanque e das contendas e iniciarem o "bom trabalho"... Até quando, companheiro/a?
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo4:47 AM

    Parece que só entra aqui o comentário que agrada. Não concordou, tá fora.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo4:48 AM

    Desculpe, seu texto parece mais panfletagem antiPT, vc quis ser engraçado, mas não conseguiu.
    Agora, constam tantas coisas sobre Aécio Never, e quero ver vc escrever sobre um dos temas que tanto avacalham a cúpula psdbista - aecioportos em MG, helicóptero sem dono, que até rima com mensalão tucano e por aí vai. Mas que seja engraçado, não com esse ar de panfletagem de oposicionista raivoso, até porque as eleições já terminaram.
    M. Esther Torinho

    ResponderExcluir
  7. Sra. Maria Esther Torinho,
    Meu blog não possui moderação de comentários. É aberto a qualquer pessoa que aqui queira se manifestar, quer suas opiniões reflitam ou não as minhas. Uma postura oposta à do partido que a senhora advoga - este sim, notório defensor da fraude e do acobertamento da verdade.

    O fato da maior parte dos comentários aqui postados aprovarem a minha satírica ironia talvez seja a legítima manifestação da sociedade à nossa volta. Uma sociedade que já não suporta mais a desfaçatez, a mentira deslavada, a corrupção sem limites em todos os escalões. Uma sociedade que já não consegue segurar o grito de BASTA na garganta e que já não acata, bovinamente, ver o seu suado dinheiro desviado para portos em Cuba, hidrelétricas na Nicarágua e cuecas de politicos safados.

    A senhora enxerga panfletagem no meu texto. Discordo mas admito que ele é, sim, uma caricatura. Porém uma caricatura desgraçadamente inspirada no quadro desalentador a que o seu partido reduziu este país.

    Não sei se a senhora acompanhou os debates transmitidos pela TV. Deve ter assistido, pois seu modo de pensar de certa forma espelha o comportamento da Rousseff ao tentar se defender das acusações que lhe foram impostas. Explico: em todas as inúmeras oportunidades que teve de esclarecer tantas e tamanhas roubalheiras do Partido dos Trabalhadores, dona Dilma se esquivava acusando quem a sabatinava - ah, mas o PSDB fez isso, ah, mas o PSDB fez aquilo, ah, mas explica então o mensalão tucano, ah, mas fala do aeroporto e do helicóptero, etc, etc, etc. Exatamente como a senhora fez aí, no comentário acima. Ou seja, a lógica da Rousseff, e por extensão a de todo o Partido dos Trabalhadores, é a seguinte: se eu roubo, o outro partido também roubou. Então, se todo mundo em Brasília rouba, não sou só eu (PT) que estou errado. É aquela velha e esfarrapada teoria de que um erro "absolve" o outro. Ao pensar e agir assim, o PT cospe na cara de 200 milhões de brasileiros. Em resumo: para o maldito PT, o fato de não ser o primeiro a perpetrar bandalheiras lhe dá salvo-conduto para bater, impunemente, a carteira da nação. A senhora acha isso certo?

    Não sou aecista, nem filiado a agremiação política alguma. Em nenhum momento do meu texto fiz apologia ao candidato tucano. Minha opinião é a seguinte: se a Rousseff roubou, cadeia nela; se Aécio roubou, cadeia nele. Que se apure tudo, então: os mensalões tucanos e a enxurrada de escândalos petistas. O mesmo peso e medida para ambos. Sem apelação. O problema é que o seu partido não tem onde se amparar para se defender, tamanho o buraco de lama em que se enfiou. Ao mesmo tempo, não consegue provar aquilo que acusa. Que sinuca, heim??

    A senhora diz que as eleições já terminaram. Sim, terminaram, com uma margem pífia a favor de sua candidata. Mas não se esqueça que a lisura do pleito vem sendo discutida. Talvez nem as até então incorruptíveis urnas eletrônicas estejam a salvo da fraudulência petista. Há muito ainda a ser descoberto, e em seu lugar eu não estaria tão certo assim da permanência de sua candidata no posto que injustamente ocupa.

    ResponderExcluir
  8. Ana Lúcia Finazzi9:13 AM

    genial, primo, como sempre! bJS.

    ResponderExcluir
  9. Sandra Romanin9:14 AM

    Arrasou, Marcelo !!!!! Bjoo

    ResponderExcluir
  10. Paulo Marsiglio Neto9:15 AM

    Não vou nem falar mais nada. Quando penso que chegou à perfeição, vc se supera. Sensacional!

    ResponderExcluir
  11. Cristini9:16 AM

    Confio em vc Companheira Delma!!Agora ficou tudo esclarecido no que se refere a ....

    ResponderExcluir
  12. Doroni Hilgenberg9:16 AM

    kkkkkkkk... Na retaguarda da história, a Delma vai ficar agora e para sempre.

    ResponderExcluir
  13. Lauro Augusto Bittencourt Borges9:18 AM

    Meu amigo, posso estar enganado, mas acho que é a primeira vez que vc, nas suas lavras, aborda um assunto relevante da pauta política de maneira tão direta, sem metáforas ou eufemismos. Parabéns, gostei muito e mesmo com esse realismo vc não perde a mão para o tempero cômico. Abs do fã!

    ResponderExcluir
  14. Claudete Amaral Bueno9:25 AM

    A Delma é muito parecida com a Dilma, não? Acho que são gêmeas!
    Quanta injustiça, né? Elas....tão "purinhas"!!!!!!
    Bom FDS
    Claudete

    ResponderExcluir
  15. Marco Antonio Rossi9:26 AM

    Bom dia, amigo e um otimo final de semana.
    Quem não sabe de nada é o povo.....
    Abraço
    Rossi

    ResponderExcluir
  16. Anônimo10:41 AM

    Falou, falou e ficou tudo na mesma, aliás, a emenda ficou pior do que o soneto. E assisti aos debates, sim, no entanto, não tenho interesse em discutir isso aqui. Agora, o seu texto ficou ainda mais panfletário. E essa história de que se eu roubo, o outro também roubou, isso não convence, sabe por quê? Porque o PSDB é o partido com mais políticos corruptos e, se discorda, vá discutir com o TSE. Além disso, apenas o FhC jogou debaixo do tapete cerca de 50 escândalos. E os aeroportos nas terras do titio e o helicóptero de pó e os desvios de dinheiro da saúde. E o mensalão tucano? Então, se a lógica é esta, isso se aplica exatamente ao´ PSDB, que roubou e demais da conta, só que a mídia esconde. Mas todo mundo sabe, só não sabe quem não quer. Agora, não vamos discutir política, vamos ao que interessa: o texto nem é político, nem é jornalístico, porque lhe falta seriedade, mas também não é humorístico, porque falta humor. Continua sendo parcial. É só. Lamento ser sincera, vc é muito, mas muito melhor quando fala de coisas do dia-a-dia, sem envolver política
    M. Esther Torinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo2:29 PM

      M Ester Torinho, é lamentável que uma pessoa que se manifesta muito bem de forma escrita como você, seja capaz de defender a corja que assaltou e continua assaltando nosso País. Ou você esta se locupletando de benesses desse governo seja de que forma for ou então, você é cega e surda por não enxergar nem ouvir o lamento das pessoas diante do estado de nossa educação e saúde no mínimo. Por outro lado, o PT entrou no governo com discurso de moralidade e ética, portanto, o governo não pode agora justificar a corrupção, desvios de dinheiro dos últimos 12 anos, sob seu comando (inclusive não se esqueça que a Dilma foi presidente do conselho de administração da Petrobras - você acredita que nunca soube nada a exemplo do molusco!), com base em que sempre houve corrupção no governo. Ah! faça-me o favor, no mínimo você deveria se omitir de comentar o texto muito próprio e carregado de bom humor do Sguassábia.

      Excluir
  17. Vou parar a celeuma por aqui. Aqueles que lerem seu comentário, minha réplica e sua tréplica tirarão, sabiamente, suas conclusões. Conte com este democrático espaço para expor seus comentários, minha senhora. Por mais estranhos e obtusos que sejam.

    ResponderExcluir
  18. Adriano Neves1:34 PM

    rsrsrsrsrrs...muito bom!!!

    ResponderExcluir
  19. Adorei o texto e suas respostas. Estou contigo, também não concordo com o resultado das urnas e com nada que está ai. Abraços Marcelo e boa semana.

    ResponderExcluir
  20. Anônimo3:36 AM

    Mas o último comentário não aparece novamente. Obtuso é sua opinião a meu respeito, assim como seu mimimi de perdedor. E agora chega: parece que vc quer a todo custo dar a última palavra. Não está sendo nada democrático.
    M. Esther Torinho

    ResponderExcluir
  21. Desculpe, minha senhora, mas sua argumentação pró-vermelha é tão rasa quanto o vocabulário do Lula. Mais uma vez eu lhe dei, aqui no meu espaço, a oportunidade de defender CONCRETAMENTE sua candidata. Mas, de novo, suas evasivas sem consistência apenas tentam arranhar a imagem do candidato oponente... Triste. E estéril.
    Sugiro que tente emplacar seus conceitos anacrônicos em blogs petistas, que concordem 100% e sem discussão com a senhora. Que tal? Aqui, definitivamente, sua retórica vacilante não encontrará eco.

    ResponderExcluir
  22. Harmonize Saúde e Beleza4:18 AM

    Kkkk Fenomenal.

    ResponderExcluir
  23. Carlos Florence7:00 AM

    Marcelo

    Parabéns.

    Sds.

    Carlos Florence.

    ResponderExcluir
  24. Meu caro amigo Marcelo. lamento que minha cor perfeita esteja em tão mau uso. Muito bem escrita sua crítica e sem tom de panfletagem e sem citar qualquer outro partido ou candidato. Gosto de seus textos que trabalham as palavras com inteligência e astúcia. Você é sempre genial! Um beijo!

    ResponderExcluir
  25. Não vi panfletagem também. Mas melhor discordar e dizer o porquê que o famigerado CURTIR

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A CAPITAL MUNDIAL DO BILBOQUÊ

Para os menores de 30, é natural não conhecê-lo. Então comecemos por uma sucinta porém honesta definição.

Bilboquê: originário da França, há cerca de 400 anos, foi o brinquedo favorito do rei Henrique III. Consiste em duas peças: uma bola com um furo e um pequeno bastão, presos um ao outro por um cordão. O jogador deve lançar a bola para o alto e tentar encaixá-la na parte mais fina do bastão. (fonte:www.desenvolvimentoeducacional.com.br).

Mais do que um brinquedo, Bilboquê é o nome de uma cidade, localizada a noroeste da pacata estância de Nhambu Mor. Chamada originalmente de Anthero Lontras, foi rebatizada devido ao número desproporcional de habitantes que fizeram do bilboquê a razão de suas vidas, dedicando-se ao artefato em tempo integral (incluindo-se aí os intervalos para as necessidades fisiológicas).

A tradição se mantém até hoje, ganhando novos e habilidosos adeptos. Nem bem raia o dia na cidade e já se ouvem os toc-tocs dos pinos tentando encaixar nas bolas. Uma distinção se…

SANTA LETÍCIA

Letícia, em seu compartimento estanque, se bastava. Vivia debaixo de uma campânula guardada por um querubim estrábico, numa imunidade vitalícia às dores do parto, à lavagem da louça, às filas nas repartições e à rabugice dos maridos sovinas e dominadores. “Façam o que quiserem, contanto que poupem a Letícia” era o veredito invariável sob qualquer pretexto e em qualquer ocasião, naqueles sítios de lagartos e desgraças.
Nada que se comparasse àquela que chamavam de Letícia, e que raras vezes se afastava de seus cães e de sua coleção de abajures. Era o tesão das rodas regadas a cerveja. Era a inveja e o assunto nos salões de beleza. Era o exemplo de virtude no sermão do padre, que botava as duas mãos no fogo do inferno e uma terceira se tivesse pela sua inteireza de caráter.
Assim a vida corria daquele jeito de costume, com a cidade a lhe estender tapetes, a lhe levar no colo e a lhe cobrir de afagos, soprando-lhe o dodói antes que se machucasse. Passou a ser o tema das redações escolares …

ESTRANHA MÁQUINA DE DEVANEIOS

Habituais ou esporádicos, todos somos lavadores de louça. Lúdico passatempo, esse. Sim, porque ninguém vai para a pia e fica pensando: agora estou lavando um garfo, agora estou enxaguando um copo, agora estou esfregando uma panela. Não. Enquanto a água escorre e o bom-bril come solto, o pensamento passeia por dobrinhas insuspeitas do cérebro. Numa aula de história, em 1979. O professor Fausto e a dinastia dos Habsburgos, a Europa da Idade Média e seus feudos como se fosse uma colcha de retalhos. O Ypê no rótulo do detergente leva ao jatobazeiro e seu fruto amarelo de cheiro forte, pegando na boca. Cisterna sem serventia. Antiga estância de assoalhos soltos. Rende mais, novo perfume, fórmula concentrada com ação profunda. A cidade era o fim da linha, literalmente. O trem chegava perto, não lá. Trilhos luzindo ao meio-dia. Inertes e inoperantes. As duas tábuas de cruzamento/linha férrea dando de comer aos cupins. Crosta de queijo na frigideira, ninguém merece. Custava deixar de molho? A…