Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2018

URNAS ELETRÔNICAS - VERSÃO 2.0

Na iminência do segundo turno das eleições 2018, todas as atenções se voltam para o dia de amanhã, 28 de outubro. Ou quase todas: um grupo de três deputados do chamado Centrão vem se reunindo diariamente em Brasília para elaborar um projeto, por eles tido como revolucionário, de regionalização das urnas eletrônicas para as eleições de 2022.

A proposta se fundamenta na possibilidade de personalizar o burocrático retratinho que aparece no visor da urna, na hora de confirmar se é aquele mesmo o processado na justiça a quem você vai entregar seu voto. 

Isso faz todo o sentido em um país continental como o nosso, segundo o autor do projeto. De acordo com ele, um sujeito de paletó, gravata, abotoadura e sapato de pelica está para o agreste nordestino da mesma forma que um canguru está para o Cazaquistão. A ideia é ambientar o postulante ao Senado, à Câmara ou à Presidência a cada realidade específica.

Assim como nos comícios o candidato assume, natural ou postiçamente, um certo "sotaque&q…

CACHORRO COM LINGUIÇA

Ninguém aguenta mais tanta carestia, onde é que esse mundo vai parar? O preço da linguiça está pela hora da morte, e daqui a pouco não teremos mais como amarrar nossos cachorros. A guia da Lilica, que chegou a ter 15 gomos no tempo das vacas gordas, diminuiu para 12, depois para 10 e agora está com 7 míseros nacos de linguiça toscana. Não demora muito e terei que andar curvado quando for levá-la para passear!

Aí, no futuro, sei que vocês usam essa expressão "do tempo em que se amarrava cachorro com linguiça" quando querem se referir a uma época de bonança e fartura sem fim, em que todo mundo confiava em todo mundo, em que não havia maldade entre as pessoas, em que tudo era bom, fresquinho e a preço de banana - inclusive a banana, que no futuro eu estou sabendo que custa os olhos da cara. 

Mas, por favor, não diminuam o nosso infortúnio, dizendo que aqui nesse retrógrado passado era tudo maravilhoso. Não era. Quer dizer, não é, porque eu ainda vivo aqui e falo com conhecimento …